quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Justo é reestatizar a Embraer

Empresa criada com recursos públicos, quarta mais importante construtora de aviões do mundo, doada por FHC a capitalistas (por que privatização é um nome feio para roubo do patrimônio público), e desde então mantida ainda com dinheiro público, a Embraer está anunciando 4 mil demissões! Ou seja, tendo ganho a empresa já montada e mundialmente famosa e lucrado fábulas de dinheiro desde então, os novos donos, que não suaram uma gota para construir essa empresa, afirmam que não podem aguentar os anos da crise tendo um pouco de prejuízo para manter 4 mil famílias.

Ora, é para enfrentar a crise que mais precisamos manter empregos, e é também nos momentos de crise que descobrimos quem é aliado e quem é inimigo. Os atuais donos da Embraer, cuja propriedade pode até ser legal no papel mas não tem legitimidade nenhuma, estão se comportando como inimigos do povo brasileiro, pois nesse momento acabar com 4 mil postos de trabalho é atacar a economia brasileira. É então o momento de perguntar – Por que não reestatizar a Embraer?

Os trabalhadores, ameaçados com 4 mil demissões, por que não tomam o controle da empresa e convocam a população brasileira a se manifestar a favor da reestatização? Já existem, no Brasil, casos de empresas ocupadas pelos trabalhadores. Por que não a Embraer? Seria impossível organizar greves de solidariedade nas faculdades e na Petrobrás? O governo Lula reprimiria os trabalhadores um ano antes das eleições?

sábado, 21 de fevereiro de 2009

O problema de identidade da grande imprensa e o bicho papão

Por que será que a imprensa de direita não se confessa como tal? A CNN, a Globo, a Veja, a Folha de S. Paulo, o Estadão, o Estado de Minas, o Tempo, a Época, a Record etc. etc., em resumo, a poderosa rede de comunicações dos capitalistas, sozinha em campo (uma vez que a esquerda brasileira é tão imatura que não tem um grande jornal sequer, e suas maiores revistas atingem uma ínfima minoria entre a própria esquerda), absoluta, quarto e maior poder do Estado... se esconde atrás de palavras como “imparcialidade” e “neutralidade”.

Pode-se alegar que exatamente por não ter que combater uma poderosa imprensa socialista, a mídia capitalista adota esse disfarce como tática para manter sua hegemonia. Mas ainda assim a necessidade de um disfarce é indicativo de algo podre. Comparemos com o exemplo oposto, Cuba, onde é o capital que não pode ter nem uma revistinha mensal com papel e tinta do povo cubanos, nem ter espaço em suas bancas. Ora, a imprensa de Cuba não se disfarça! Ela luta pela hegemonia também, mas de peito aberto. O maior diário de Cuba é o Granma, órgão oficial do Partido Comunista Cubano.

No entanto, a acreditar no que afirma nossa “livre” imprensa “neutra” e “imparcial”, nós é que devíamos nos disfarçar. O que falam dos comunistas é exagerado até para filmes de terror e ficção científica. Deve existir uma disputa secreta entre os mídia capitalistas em que o campeão do momento é o que tem a cara de pau de atribuir mais assassinatos e outros crimes aos comunistas. Ser comunista seria ser mau e sanguinário, ateu e pecador.

Curiosamente, cá estamos nós, orgulhosos de sermos comunistas e certos de que não somos os criminosos que nos pintam. Eles, que na versão deles deviam ser os mocinhos, orgulhosos de serem capitalistas, estão lá escondidos, fingindo que não são eles. Dupla covardia, batem em vítimas indefesas (direito de resposta só arrancado nos tribunais) e ainda escondem o rosto!

Esses dias, a Veja voltou a atacar Niemayer e Stálin. Faz parte da pauta da imprensa capitalista atacar os comunistas vivos e mortos, toda santa semana. Dessa vez Niemayer foi atacado por que defendeu Stálin. Ora, todos sabem que Stálin é o bicho papão dos capitalistas. Defender o bicho papão é pecado, que o tribunal da inquisição capitalista pune com a fogueira da imagem pública. Sorte que os comunistas devem ser mesmo bruxos, por que não se queimam nessas chamas de hipocrisia.

Mas voltemos à questão inicial. Como devemos acreditar na boa fé alheia, e que a imprensa capitalista tem um motivo decente mas inconfessável para fingir que não é capitalista, mas “neutra”. De que se esconde a imprensa capitalista? Só podemos supor (no plural porque tenho quase certeza que ouvi isso de um amigo) que seja um baita medo do bicho papão!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A reação de Nivaldo à crise e os limites do populismo

A folha semanal dos tucanos, Gazeta de São João del Rei, denunciou que o prefeito Nivaldo (PMDB) pode demitir até 200 funcionários, a maioria concursados, nos próximos três meses. O motivo seria a queda brusca da arrecadação de ICMS, ou seja, do imposto que incide sobre a circulação de mercadorias e serviços – seria portanto um sintoma da crise econômica mundial.

Essa reação à crise é cheia de absurdos, que revelam fragilidades da política de Nivaldo.

Essa é uma crise típica do capitalismo, embora mais aguda, e sua base econômica real é uma super-produção, embora a imprensa capitalista evite o assunto. Essa sobra de produtos, que dificulta as vendas de todo mundo, só poder ser agravada pelas demissões. Portanto, entende-se que os empresários, que só visam lucro, demitam, pois moralidade e responsabilidade pública não fazem parte dos objetivos de nenhuma empresa capitalista. Mas é óbvio que para combater a crise os governos deviam não só evitar demissões, mas contratar! Nesse momento, o discurso liberal de enxugar a máquina pública, mentiroso em qualquer época, se torna também criminoso.

Assim, devemos perguntar aos peemedebistas e nivaldistas – o que Nivaldo tem de melhor para fazer com o dinheiro que pretende economizar demitindo 200 pais e mães de família? Asfalto? Pedrinhas portuguesas? Precisamos dessas porcarias em tempos de crise? Certamente, uma preocupação é com as famosas “obras”, carro chefe do tipo de populismo aqui tratado.

Mas suponhamos que realmente fosse necessário demitir. Por que logo os concursados? Não sabemos que isso é contra a lei e vai gerar uma onda de processos contra a Prefeitura? Mas aqui esbarramos com outro limite do populismo. Quem Nivaldo vai demitir? Seus cabos eleitorais?

Observem como é absurdo o poder de um prefeito. Quando foi que Nivaldo falou de demitir durante sua campanha? Por quatro anos, ele pode fazer o que bem entender, com o cuidado de não esbarrar no Judiciário, poder que nem é eleito! Onde está o poder do povo? Onde está a dita democracia do capitalismo?

Em um momento como esse fica claro o quanto as coisas seriam diferentes caso o povo tivesse o poder de revogar todos os mandatos. Se em Outubro de todo ano acontecesse um plebiscito revogatório, Nivaldo estaria governando agora conforme no último ano de seus mandatos, e não falando de demitir 200 trabalhadores.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

PT e PSDB: O porco e o toucinho

Nas últimas semanas, o PSDB, com seus já tradicionais aliados de extrema direita, começaram a acusar o PT por fazer propaganda da ministra Dilma visando a presidência da República. O mais irônico é que o principal porta-voz da reclamação tucana foi ninguém menos que FHC, aquele mesmo que foi transformado em presidenciável exatamente quando era ministro de Itamar Franco! Ou seja, trata-se de mais um caso em que se aplica o famoso ditado popular – É o porco falando do toucinho!

Não é só nisso que PSDB e PT se parecem: A política econômica dos dois é idêntica; A política social é do mesmo modelo assistencialista, sendo que o PT elevou um pouco as cifras gastas com essa charlatanice; Nenhum dos dois deu nem um mísero passo para o fortalecimento do povo trabalhador, ou seja, para a criação de uma verdadeira democracia.

As diferenças entre PSDB e PT existem, mas são cosméticas: O PT deu às relações exteriores um pouco de dignidade e soberania (só um pouco, fique claro); Os investimentos em educação do governo petista são também um pouco maiores que os do PSDB, embora o modelo educacional permaneça idêntico; As Forças Armadas estão sendo reequipadas pelo PT de forma mais soberana.

Essas grande semelhanças e pequenas diferenças são todas ofuscadas pela grande disputa atual entre tucanos e petucanos! Não, não se trata da questão do apoio de Lula a Dilma, mas sim da disputa pelo PMDB !!! Sim, o PMDB, no passado tão atacado por essas duas siglas, agora é igualmente bajulado pelo PT e pelo PSDB. O PT lhe deu os mais importantes ministérios – educação, saúde, comunicação, defesa – e o PMDB ainda abocanhou as presidências do Senado e da Câmara dos Deputados, de forma que é de fato o partido governante. Mas tamanho pagamento não garante a fidelidade desse partido aos petucanos, ou ao menos é o que pensam os tucanos, que o cantam abertamente!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

"Pelo Socialismo, Criando Poder Popular !"

É com esse norte que a Juventude Comunista da Venezuela chamou seu Décimo Primeiro Congresso Nacional. Criar poder popular é o caminho para o socialismo, eis outra forma de dizer a mesma coisa. Devemos aprender isso com nossos camaradas venezuelanos, pois eles estão mais perto do socialismo que nós, e não estão em tempos de brincadeira.

Não se trata, porém, de uma exclusividade da Revolução Bolivariana. Também na URSS não seria possível a revolução socialista sem o poder soviético, e quando os Soviets perderam seu poder, inclusive no papel na Constituição de 1936, foi condenado o socialismo. Os bolcheviques conseguiram se manter no poder, por meio de uma ditadura que se iniciou em 1936 e perdeu o poder para uma ditadura contra-revolucionária em 1959. Ou seja, não conseguiram salvar o socialismo com essa ditadura.

Não haveria Revolução Chinesa sem as Comunas, nem sem democracia dentro do seu Exército, e de fato, em cada revolução socialista a vitória sempre está umbilicalmente ligada ao poder popular.

No Brasil, por capitulação completa, a “esquerda” não levanta a sério as bandeiras do poder popular. Onde está a revogabilidade de todos os mandatos? Onde está a exigência de uma lei de transparência completa das contas públicas? Onde a elegibilidade e revogabilidade de todos os cargos públicos? Onde a democratização (e em que isso diferiria de socialização) das estatais? Onde um plano de democratização e ampliação das Forças Armadas?

Aliás, por que a “esquerda” brasileira não começa por criar verdadeiro poder popular no movimento sindical e estudantil que dirige? Já teria essa “esquerda” lido A Guerra Civil em França de Marx ( A Comuna de Paris ) e O Estado e a Revolução de Lênin? Certamente que não, pois anti-comunista por ter sido educada sob a ditadura, de quem recebeu eficiente e subliminar lavagem cerebral, essa “esquerda” que chafurda na democracia liberal se acha teoricamente auto-suficiente, informada que é pela mídia de massas da burguesia.

Nos faz lembrar da outra parte do lema levantado pela JCV: “Unir, Estudar e Organizar”!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Doentes obrigados a esperar passar o Carnaval !!??

Eis a realidade da saúde pública de São João del Rei. Os postos de saúde só voltam a ter médicos depois do Carnaval. Enquanto isso, são atendidos somente os casos de emergência. O povo trabalhador (e quanto mais trabalhador, mais pobre) tem que se aguentar com suas doenças desde as festas de fim de ano até o final de Fevereiro.

Essa realidade é indesculpável, e o nosso povo só a tolera por que ainda arrasta consigo a cultura de 400 anos de escravidão, portanto é submisso, abobalhado, acovardado. Além disso, é um povo mantido na ignorância. O que nosso povo pensa que sabe de Cuba é que lá seria uma ditadura!!?? Se nosso povo ao invés dessa idéia estapafúrdia soubesse o quanto Cuba é por natureza mais pobre que o Brasil e o quanto os cubanos têm mais saúde pública, logo exigiria melhoras por aqui.

Cuba não tem petróleo, nem carvão, nem minério de ferro, nem um rio capaz de mover uma hidroelétrica, nem água suficiente para toda a população (precisa dessalinizar água marinha em grande quantidade), ainda está sob bloqueio dos EUA há mais de 40 anos, e apesar disso tudo tem um médico para cada 170 habitantes, enquanto o Brasil, rico em quase tudo que existe sobre a Terra, e ainda aliado das grandes potências ao invés de bloqueado por elas, tem um médico para cada 900 habitantes, ou seja, cinco vezes menos que Cuba!

Apesar disso, os Conselhos Regionais de Medicina, órgãos compostos por médicos, afirmam que já existem médicos demais no Brasil. Para conter a criação de faculdades de medicina, os CRMs têm um argumento que é forte por ser verdade – a maioria das particulares oferece um ensino de péssima qualidade. – O que se estabelece é uma briga entre dois interesses mesquinhos. De um lado a tentativa de reduzir a oferta de médicos para aumentar os ganhos pecuniários dessa categoria. De outro a criação de pseudo-faculdades que são na verdade vendas de diplomas. Da até vontade de comparar com a educação em Cuba...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Nova organização visual do São João del Pueblo

Nesse provedor, que oferece mais recursos, o São João del Pueblo pode oferecer uma barra lateral conforme seus objetivos organizacionais e políticos. No Zip.net a barra lateral é praticamente desperdiçada.

Com os primeiros itens da barra lateral - o símbolo do Partido, com seu número, e uma caixa de links para as últimas notícias da Página nacional do Partido (com excessão das que lá estão em um formato para o qual não conseguimos fazer links !!??) - já nos livramos da necessidade de ficar republicando os textos já publicados na página nacional.

Logo abaixo, mas de igual importância, é a barra com links para todas as outras páginas do Partido ou da UJC que encontramos. Com isso esperamos capilarizar as notícias de nossa página, tornando-a mais interessante, mas também estimular os camaradas de outras células a criarem seus blogs.

Agora, o que falta muito ao São João del Pueblo são notícias locais, uma vez que com essa barra lateral fornecemos boa quantidade de notícias nacionais e internacionais.