sábado, 21 de fevereiro de 2009

O problema de identidade da grande imprensa e o bicho papão

Por que será que a imprensa de direita não se confessa como tal? A CNN, a Globo, a Veja, a Folha de S. Paulo, o Estadão, o Estado de Minas, o Tempo, a Época, a Record etc. etc., em resumo, a poderosa rede de comunicações dos capitalistas, sozinha em campo (uma vez que a esquerda brasileira é tão imatura que não tem um grande jornal sequer, e suas maiores revistas atingem uma ínfima minoria entre a própria esquerda), absoluta, quarto e maior poder do Estado... se esconde atrás de palavras como “imparcialidade” e “neutralidade”.

Pode-se alegar que exatamente por não ter que combater uma poderosa imprensa socialista, a mídia capitalista adota esse disfarce como tática para manter sua hegemonia. Mas ainda assim a necessidade de um disfarce é indicativo de algo podre. Comparemos com o exemplo oposto, Cuba, onde é o capital que não pode ter nem uma revistinha mensal com papel e tinta do povo cubanos, nem ter espaço em suas bancas. Ora, a imprensa de Cuba não se disfarça! Ela luta pela hegemonia também, mas de peito aberto. O maior diário de Cuba é o Granma, órgão oficial do Partido Comunista Cubano.

No entanto, a acreditar no que afirma nossa “livre” imprensa “neutra” e “imparcial”, nós é que devíamos nos disfarçar. O que falam dos comunistas é exagerado até para filmes de terror e ficção científica. Deve existir uma disputa secreta entre os mídia capitalistas em que o campeão do momento é o que tem a cara de pau de atribuir mais assassinatos e outros crimes aos comunistas. Ser comunista seria ser mau e sanguinário, ateu e pecador.

Curiosamente, cá estamos nós, orgulhosos de sermos comunistas e certos de que não somos os criminosos que nos pintam. Eles, que na versão deles deviam ser os mocinhos, orgulhosos de serem capitalistas, estão lá escondidos, fingindo que não são eles. Dupla covardia, batem em vítimas indefesas (direito de resposta só arrancado nos tribunais) e ainda escondem o rosto!

Esses dias, a Veja voltou a atacar Niemayer e Stálin. Faz parte da pauta da imprensa capitalista atacar os comunistas vivos e mortos, toda santa semana. Dessa vez Niemayer foi atacado por que defendeu Stálin. Ora, todos sabem que Stálin é o bicho papão dos capitalistas. Defender o bicho papão é pecado, que o tribunal da inquisição capitalista pune com a fogueira da imagem pública. Sorte que os comunistas devem ser mesmo bruxos, por que não se queimam nessas chamas de hipocrisia.

Mas voltemos à questão inicial. Como devemos acreditar na boa fé alheia, e que a imprensa capitalista tem um motivo decente mas inconfessável para fingir que não é capitalista, mas “neutra”. De que se esconde a imprensa capitalista? Só podemos supor (no plural porque tenho quase certeza que ouvi isso de um amigo) que seja um baita medo do bicho papão!

Um comentário:

AF STURT disse...

Belo artigo meu caro Alex,concordo contigo,alias olha onde chegou nossa midia .
Tem uma grupo formado por tv aberta,tv a cabo e radios a serviço não so do capital ,mas a serviço dos partidos de direita ,que se esconde, mais querem é implantar no Brasil um sistema neo liberal.Estou referindo a tv cultura,o canal ratibum e radios cultura am e fm,elas cada vez mais entram no jogo do tucanato e transforma o que de bom resta na tv brasileira ,que esta na tv plubica,em grandes porcarias iguais da tv aberta comercial.
Mais uma vez a fundação Padre Anchienta briga com as tvs educativas e culturais como a rede minas e suas afiliadas para retrasmitir sua progamação para não peder espaço para outra tv que é governada pelo pt,claro que me refiro a tv brasil,agencia brasil e ao sistema radiobras.Que tambem tem la seus interesses...
A midia privada eu ja não assusto com mais nada ,com mais nada ,agora a midia plubica que é sustentada diretamente pelo povo ,não podia nem ser pensado que exista isso la .
Alias a midia privada tambem é o povo que sustenta.
Eu so queria deixar claro minha concordância e o apoio sobre a midia privada e plubica ,reafirmando que elas estão a serviço do capital a dos neo liberias como sempre teve.

Postar um comentário