segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Avaliação do primeiro mês do governo petista em São João del Rei

Um mês é muito pouco tempo, sobretudo em uma transição em que uma oposição chegou à prefeitura. Toda uma série de questões ainda não podem ser tratadas, não se tem delas nem informações. Portanto só podemos analisar aqui dois assuntos: A transição em si e os assuntos urgentes.

sábado, 12 de janeiro de 2013

Redução do número de secretarias municipais era mentira

Há alguns meses noticiamos que o prefeito de São João del Rei, petista, anunciara a redução das secretarias municipais pela metade. Era mentira! Acreditamos nele porque as eleições já tinham terminado, mas na verdade as secretarias cresceram de 14 para 16 e ainda foram criados 3 "assessores especiais" (lista na Gazeta). Os custos subiram muito, porque os salários dos secretários foram quase dobrados, de 2 mil 750 reais para 4 mil e 400 reais.

Também revelou-se mentira que os salários dos secretários tinham que subir para que fosse possível montar uma equipe técnica. A "equipe" que se vê é partidária, não técnica, e suas qualificações, já divulgadas, não nos convenceram da necessidade de subir seus salários.

Não vamos avaliar os secretários um a um antes que tenham tempo para trabalhar, mas é interessante uma observação geral. O prefeito está tentando colocar o maior número de forças políticas dentro do seu governo. Levando em conta seus 8 anos de reitoria, entendemos que ele faz isso porque não suporta oposição. Estão lá os tucanos, aliados dos tucanos, os nivaldistas, inclusive a presidente do PMDB. Um dos secretários, longe de ser novato, foi secretário tanto do Sidinho (condenado em segunda instância por corrupção) quanto do Nivaldo (sem comentários), e ele mesmo já foi condenado pelo esquema conhecido como "farra das diárias".

Esse tipo de política não funciona. Primeiro porque não é eficiente, é um loteamento da prefeitura entre as forças aliadas. O regime político vigente no país, tanto por suas eleições quanto depois, praticamente joga todos os governos, federal, estaduais e municipais, nessa armadilha. Cada força, detentora do seu pedacinho, o utiliza em proveito próprio, o que quase sempre não corresponde ao interesse social. Segundo, pode gerar conflitos internos. Terceiro, não consegue extinguir a oposição, só a municia.

O Partido Comunista, naturalmente, não entrará no governo, nem dará trégua em seu trabalho oposicionista. Nunca é demais repetir que existe um secretário do PCdoB na administração, mas esse não é nosso partido. Nossa sigla sempre foi PCB, como se pode ver em fotos de pichações desde a década de 20 do século 20. PCB e PCdoB são hoje completamente diferentes. O PCB é oposição ao governo federal, ao estadual e ao municipal, o PCdoB é o partido flagrado em corrupção no ministério dos esportes, é o partido responsável pelo código do desmatamento odiado pelos ambientalistas, e é cada dia mais atrelado ao PT. Em São João del Rei não conhecemos nenhuma atuação do PCdoB desde 2004, não tem um blog, não atua nem na internet.

Deve ficar claro, para que depois ninguém resmungue, que qualquer militante do PCB que aceitar apoiar o governo petista receberá expulsão sumária sob acusação de desertor.