segunda-feira, 28 de junho de 2010

EUA e Israel preparam agressão contra o Irã

Mais uma vez Fidel Castro Ruz se dirigiu aos cidadãos do mundo alertando que os navios de guerra dos EUA e de Israel estão se dirigindo em número assustador para as costas iranianas, no golfo pérsico, onde a república islâmica tem um famosa frota de mini-submarinos. A Arábia Saudita já cedeu a Israel uma passagem para seus aviões de guerra. Tudo isso enquanto o mundo presta atenção à Copa do Mundo.

Há um dia mais ou menos, um funcionário do governo dos EUA anunciou que o Irã já tem material para duas bombas atômicas. É a mesma justificativa mentirosa usada contra o Iraque.

sábado, 26 de junho de 2010

Os reitores e as entidades de base na UFSJ e no Brasil

No Brasil todo, a exemplo da UFMG onde estudei, a partidarização e pari passu o cupulismo são tamanhos que se um reitor tem a idéia de intervir um pouquinho no movimento estudantil, telefona para o presidente estadual do partido que estiver com as rédeas do Diretório Central dos Estudantes e resolve por cima.

Na UFSJ, como as entidades de base tomaram o poder sobre o Diretório Central dos Estudantes, a coisa chegou no extremo oposto. Para tentar influenciar na eleição de um dos dois representantes estudantis no Conselho Universitário, o reitor andou ligando de CA para CA! Conseguiu um monte de coisas com isso - mostrou aos CAs como estão fortes; indignou os estudantes com a tentativa de intervenção; em consequência encheu um Conselho de Entidades de Base com dezenas de estudantes, que ficaram reunidos até as 4 horas da madrugada se divertindo com a inabilidade do novo militante.

É isso ai, na UFSJ, depois que as entidades de base libertaram o DCE do aparelhismo, até o reitor faz trabalho de base!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Secretariado da Federação Sindical Mundial está clamando por três dias de greves portuarias contra Israel

Horas depois de escrever o texto abaixo, lendo textos do Prensa Popular Comunistas Miranda, descobrimos que a Federação Sindical Mundial já fez o mesmo apelo que pedimos aos dirigentes sindicais portuários de todo o mundo, abaixo:

http://prensapopular-comunistasmiranda.blogspot.com/2010/06/en-solidaridad-con-palestina-huelga.html .

É ótima notícia, mas não desobriga os comunistas da tarefa que só eles podem cumprir com eficiência, mesmo porque pergunto: Quem vai distribuír pelo mundo o apelo da Federação Sindical Mundial? Já se vê. A fonte do artigo é a página dos comunistas de Miranda, na Venezuela, que o encontraram na página do Partido Comunista de Québec (Independentista), e agora o repassamos adiante em uma página do Partido Comunista Brasileiro de São João del-Rei.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Partidos Comunistas precisam lançar movimento mundial de bloqueio a países agressores

Há semanas o Comandante Fidel Castro Ruz tem avisado que sob o manto da Copa do Mundo se preparam guerras imperialistas nas quais existe inclusive o perigo do uso de armas atômicas! Mais uma vez, no desespero de cessar sua queda vertiginosa, Washington faz guerras. Fidel acusou abertamente de ter sido os EUA o responsável por colocar a pique um navio da Coréia do Sul (colônia dos EUA na prática, e vítima dessa guerra tanto quanto a Coréia independente, pois também será campo de batalha), para acusar a Coréia Popular. A outra guerra é preparada no Oriênte Médio, onde outra colônia estadunidense, Israel, está planejando contra o Irã uma série de ataques aéreos, com a desculpa de destruír suas centrais nucleares.

Desde o século XIX sabemos que o capitalismo precisa de guerras, sobretudo para superar crises de superprodução, que é o caso atual. E desde que existem impérios, sabe-se que eles têm problemas com a liberdade alheia. Sendo assim, as raízes dessas guerras são óbvias, o que nos interessa é colocar um freio nelas, para o que parecemos muito fracos.

Quando Israel atacou brutalmente um barco de ajuda humanitária, assassinando vários pacifistas e atirando os corpos de alguns no mar, os trabalhadores dos portos suecos resolveram não mais carregar e descarregar navios de Israel e mercadorias para lá e de lá. Não é completa novidade. Também quando os EUA atacaram o Iraque com desculpas inaceitáveis, no auge do movimento pela paz (reprimido nos EUA de forma ditatorial), surgiram pelos cais do mundo propostas de um grande bloqueio às mercadorias do império.

Obviamente, tendo sucesso, desnortearia o império por uns tempos, retirando-lhe a opção belicista. Mais obviamente ainda, a repressão a esse movimento seria enorme, pois o capitalismo não pode conviver com tamanha decisão pacifista. Somente os Partidos Comunistas, com sua experiência de lutar sob repressão constante, com sua presença no mundo todo, com sua experiência antiga de atual entre os marítimos, com seu heroísmo de sempre, podem cumprir essa imensa tarefa - Espalhar por todos os portos do mundo um grito pela paz, uma proposta de união contra a guerra!

terça-feira, 15 de junho de 2010

Dia 17, Quinta, 19 horas, CSA

Para Quinta-feira, dia 17 de Junho, estamos convocando um encontro ampliado a todos que quiserem participar, para decidirmos o que fazer em relação à situação dos trabalhadores, que continua piorando ano após ano.

Esse encontro será no Campus Santo Antônio, da UFSJ, na sala 3.06.

domingo, 13 de junho de 2010

Polônia proíbe uso de camisas do Che e outros símbolos socialistas e comunistas

Eis ai a democracia que os poloneses ganharam em troca de entregarem sua economia aos capitalistas. Entregaram suas fábricas, terras aos mesmos que já as dominavam por meio da corrupção e aos que já eram sócios do mercado negro, e esperavam em troca a sonhada democracia. Estão começando a descobrir que ficaram sem ambas as coisas!

Andar com uma camiseta com o Che, ou com a foice e o martelo está resultando em multa, ou mesmo em prisão na Polônia! Pergunto - Na época da Polônia "socialista" (na verdade uma sociedade em transição desde o início incerta dadas as correlações de forças) alguém era multado ou preso por usar camisetas com símbolos capitalistas? Nunca ouvi falar de tal coisa.

Quem conhece o capitalismo pode dar aos poloneses um aviso: As coisas só vão piorar!

sábado, 12 de junho de 2010

Bancada da Copasa prepara manobra na Câmara dos Vereadores enquanto trabalhadores buscam organização

Embora as atenções estejam todas atraídas para a Copa, a semana próxima será importânte para o futuro de São João del-Rei.

De um lado, a bancada arregimentada pela Copasa na Câmara dos Vereadores, ciente de que está contra a opinião da maioria do povo, continua pretendendo vender o Damae à Copasa sem fazer plebiscito. Marcaram uma reunião para o dia do primeiro jogo do Brasil, às 8 horas da manhã! Isso cheira a manobra, ou seja, a tática para esvaziar o plenário da Câmara.

De outro lado, os trabalhadores, estudantes, desempregados etc., estão buscando se organizarem e vão reunir os interessados no dia 17, Quinta-feira. Publicaram um panfleto de denúncias claras, que em sua primeira versão, menor que a que está circulando, pode ser lido nesse blog com o título "A escravidão acabou? Em São João del-Rei não!"

domingo, 6 de junho de 2010

Até judeus contra governo fascista de Israel

Transcrevo abaixo três protestos indignados de judeus envergonhados pela conduta do governo israelense. É hora dos judeus do mundo todo, em peso, condenarem Israel, pois o apoio a essa entidade já se tornou cumplicidade, visto que esse é o nome que se dá quando o que se apoia é um crime. Israel está imitando a Alemanha de Hitler em seus piores defeitos, com direito a campos de concentração, progons, racismo, assassinatos políticos e massacres. Está fazendo rir aos neonazistas, que ganham adeptos anti-judeus a cada brutalidade de Israel, e dando argumentos aos que afirmam que os massacres feitos por Hitler contra os judeus foram bons para a Alemanha. Os judeus que não são assassinos devem protestar e protestar, para se desvincularem de Israel.

Os dois primeiros textos foram publicados em Israel:

ISRAEL: UM GOVERNO DE PIROMANÍACOS PÕE FOGO NO ORIENTE MÉDIO

31/6/2010, Uri Avnery, Gush Shalom [Bloco da Paz] Telavive (Press-release)

http://zope.gush-shalom.org/home/en/events/1275331484

“Só um governo que já tenha perdido toda a capacidade de se autoconter e toda a conexão com a realidade comete tal crime. Atirar contra ativistas pacifistas, agentes de obra de auxílio humanitário, de várias nacionalidades, tomá-los como inimigos e enviar força militar massiva, em águas internacionais, atirar para matar e matar, é inconcebível!”

“Ninguém no mundo acreditará nas desculpas e mentiras do governo de Israel e dos porta-vozes do Exército” – disse o ex-deputado Uri Avnery, do movimento “Bloco da Paz”. Os ativistas do “Bloco da Paz”, com vários outros grupos, reuniram-se hoje em Ashdod, Tel-Aviv, Haifa e Jerusalem.

Hoje é dia de desgraça para o Estado de Israel. Dia de ansiedade, em que os israelenses descobrimos que nosso futuro está entregue a um bando de alucinados, todos de armas engatilhadas, atirando sem qualquer senso de responsabilidade. Hoje é dia de desgraça e loucura e estupidez sem limites. Dia em que o governo de Israel enlameou o nome do país ante todo o mundo, juntou mais provas, a comprovar que a imagem de uma Israel brutal, agressiva, não é invenção de propaganda. Hoje Israel dá um passo gigantesco afastando-se dos poucos amigos que nos restam no mundo.

Sim, houve ato de provocação no litoral de Gaza. Mas os provocadores não foram os ativistas pacifistas convidados a vir à Palestina e que tentavam chegar. Provocação houve, isso sim, praticada pelos comandos armados e encapuzados dos barcos de guerra, a mando do governo de Israel, que, para bloquear o avanço dos barcos dos pacifistas, não vacilou em atirar para matar, e matar!

É hora de levantar o sítio que sufoca a Faixa de Gaza e que tanto sofrimento causa aos palestinos. Hoje, o governo de Israel arrancou a máscara da face – com as próprias mãos – e mostrou a verdade: Israel jamais “desengajou-se” de Gaza. Nenhum desengajamento há, se Israel bloqueia o acesso à área ou manda soldados com ordem para matar e ferir quem tente chegar a Gaza.

Pelos Acordos de Oslo, há 17 anos, o Estado de Israel comprometeu-se a permitir e estimular a construção de um porto de águas profundas em Gaza, pelo qual os palestinos pudessem importar e exportar livremente seus produtos e o que necessitassem comprar, para desenvolver livremente sua economia. É hora de cumprir o acordado e abrir o Porto de Gaza. Só depois que o porto de Gaza estiver aberto, para livre movimentação, como acontece nos portos de Ashdod e Haifa, então sim, Israel ter-se-á “desengajado” da Faixa de Gaza. Até lá, o mundo continuará – com razão – a considerar a Faixa de Gaza como território ocupado por Israel; e Israel, responsável pelo destino dos seres humanos que vivem lá.



+++++++++++++++++++++++



UM CRIME CONTRA ISRAEL

Hebrew in Haaretz today, June 1

O que aconteceu ontem foi um crime. Um crime contra o Estado de Israel.

Um bando de irresponsáveis e pessoas embreagadas pelo poder, decidiu por uma ação que estava fadada a resultar em pessoas mortas e feridas.

Nenhuma pessoa sensata em Israel ou no exterior vai comprar a coleção de mentiras e pretextos com os quais os responsáveis estão tentando justificar-se. Tanto que nenhuma das vítimas tenha sido autorizadas a falar.

Esta operação não foi apenas imoral, mas também voltará contra nós o último dos nossos simpatizantes em todo o mundo e adicionando força para aqueles que pedem um boicote a Israel.

Há apenas uma maneira de limitar o dano:

- Convocar a nomeação imediata de um conselho internacional de inquérito para investigar o caso.

- Levantar de uma vez o bloqueio imoral e ilegal contra o milhão e meio de habitantes da Faixa de Gaza.

- Implementar a proposta de troca de prisioneiros e libertar Gilad Shalit.

Enormes danos foram feitos. Temos de tentar repará-los da melhor forma possível.


(Large special ad published in Hebrew in Haaretz today, June 1)


--------------------------------------------------------------------------------------

Carta ao governo Israelense

Senhores que me envergonham:

Judeu identificado com as melhores tradições humanistas de nossa cultura, sinto-me profundamente envergonhado com o que sucessivos governos israelenses vêm fazendo com a paz no Oriente.Médio.

As iniciativas contra a paz tomadas pelo governo de Israel vem tornando cotidianamente a sobrevivência em Israel e na Palestina cada vez mais insuportável.

Já faz tempo que sinto vergonha das ocupações indecentes praticadas por colonos judeus em território palestino. Que dizer agora do bombardeio do navio com bandeira Turca que leva alimentos para nossos irmãos palestinos? Vergonha, três vezes vergonha!

Proponho que Simon Peres devolva seu prêmio Nobel da Paz e peça desculpas por tê-lo aceito mesmo depois de ter armado a África do Sul do Apartheid.

Considero o atual governo, todos seus membros, sem exceção, merecedores por consenso universal do Prêmio Jim Jones por estarem conduzindo todo um pais para o suicídio coletivo.

A continuar com a política genocida do atual governo nem os bons sobreviverão e Israel perecerá baixo o desprezo de todo o mundo..

O Sr., Lieberman, que trouxe da sua Moldávia natal vasta experiência com pogroms, está firmemente empenhado em aplicá-la contra nossos irmãos palestinos. Este merece só para ele um tribunal de Nuremberg.

Digo tudo isso porque um judeu humanista não pode assistir calado e indiferente o que está acontecendo no Oriente Médio. Precisamos de força e coragem para, unidos aos bons, lutar pela convivência fraterna entre dois povos irmãos.

Abaixo o fascismo!

Paz Já!

Silvio Tendler

Cineasta

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Plenário lotado clama por plebiscito na Câmara dos Vereadores

 Os vereadores que advogam pela causa da Copasa (e portanto de seus acionistas) esbarraram com outra grande manifestação contra a venda do Damae à Copasa. O que seria o primeiro turno de votação teve que ser transformado em um primeiro debate sobre a proposta de negociata. Os manifestantes começaram a pedir um plebiscito, em que a população decidirá se aceita ou não essa venda. Então a presidênte da casa confessou o quanto representa o povo, respondendo aos pedidos de plebiscito com uma acusação contra esse mesmo povo, de que 60% não paga a conta de água ao Damae, e por isso votaria a favor da manutenção deste! É normal, as pessoas se veêm nos outros! Ela acha que o povo só pensa em ganhos de dinheiro! E ao mesmo tempo confessou que não representa a maioria do povo, que está disposta a atropelar a maioria do povo, confessou que sabe que a maioria do povo é a favor do Damae, e que por isso mesmo não quer ouvir o povo nas urnas.