sábado, 30 de junho de 2012

Partido Comunista confirma Alex Lombello Amaral como candidato a vice-prefeito de São João del-Rei

Alex é morador do bairro das Fábricas, graduado (UFMG), pós-graduado (UFSJ) e mestre (UFJF) em História, autor de um livrinho chamado Origens das Minas Gerais e editor de livros de Marx, Engels, e Lênin, dos quais também traduziu algumas coisas. Iniciou sua vida política em 1993 como um dos redatores do Che, um jornal estudantil. Nesse mesmo ano participou da segunda fundação da Umes. Em 1994, ingressou no movimento estudantil universitário, liderando várias ocupações da Reitoria e dos bandejões da UFMG, e participando de diversas outras manifestações em diversas cidades do país. Era então membro do PCdoB, e da direção estadual da sua juventude, a UJS. Em 1999, de volta a São João del-Rei, foi um dos fundadores da Escola Operária, a escola dos sindicatos de São João del-Rei, em cujo pré-vestibular lecionou por 8 anos. Em 2004, depois de dez anos no PCdoB, preferiu se retirar que aceitar o apoio dado pela direção estadual desse partido ao PSDB-PT nas eleições municipais de São João del-Rei. Contra o PSDB, subiu nos palanques do PMDB, de onde denunciou com firmeza o governo estadual tucano. Em 2007, filiou-se ao PCB, fez uma primeira experiência de candidatura em 2010, a deputado federal (teve pouco mais de mil votos gastando pouco mais de 2 mil reais), e agora será o vice de Jordano, do PSTU.

Ao que tudo indica restarão somente três candidaturas em São João del-Rei. O favorito é Nivaldo, atual prefeito, do PMDB, com vice também do PMDB. Existem boatos porém de que se articula para se inviabilizar o vice peemedebista e substituí-lo por um tucano. Seria a única maneira do PSDB chegar à prefeitura de São João del-Rei. O PT deve confirmar a candidatura de Helvécio, ex-reitor da UFSJ, com histórico de autoritarismo e centralismo que pode ser acompanhado em artigos antigos desse mesmo blog. Os partidos socialistas coligaram-se, terão Jordano e Alex como candidatos à prefeitura e uma chapa de vereadores.

O Partido Comunista lançou dois candidatos a vereança, o mestrando Alexandre Marciano e o gráfico Ever Alessandro, que estão na coligação PCB, PSTU, PSOL.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

PSTU lança metalúrgico Jordano candidato a prefeito de São João del-Rei

A Convenção Eleitoral do PSTU, nessa Quarta-feira, 27 de Junho, aprovou a candidatura a prefeito de Jordano Carvalho dos Santos. Jordano (30) é presidente, agora licenciado, do Sindicato dos Metalúrgicos de São João del-Rei, e técnico em segurança do trabalho. O PSTU terá duas candidatas e um candidato a vereador. Tanto a candidatura a prefeito como as candidaturas a vereança são em coligação com PCB e PSOL.

O PSTU aprovou como candidato a vice-prefeito um camarada do PCB, Alex Lombello Amaral. A Convenção Eleitoral do PCB acontecerá no Sábado, dia 30, 11 horas da manhã, na Câmara dos Vereadores, e deve aprovar a coligação e a candidatura, assim como escolher seus candidatos a vereadores. A Convenção Eleitoral do PSOL acontecerá no mesmo dia e local, mas às 9 horas da manhã.

A guerra entre os vereadores e o povo de São João del-Rei

Em nota de um dia atrás, previmos que os vereadores não estavam gostando da participação popular na Câmara dos Vereadores, e os acontecimentos dessa Terça-feira, 26 de Junho, o confirmam. A polícia já estava na porta desde o início da seção, e para entrar era necessário apresentar documentos, com o claro objetivo de afastar os mais jovens, quando o objetivo dos vereadores deveria ser o contrário. Aliás, todo esse episódio da história de São João del-Rei revela, acima de tudo, um divórcio entre a população, com destaque para os setores instruídos e organizados, e as instituições políticas, destacadamente a que deveria lhes representar.

Lembremos que essa luta começou porque os vereadores, depois de anos de tentativas, enfim, na hora errada mas que lhes é mais necessária, decidiram criar coragem e aprovar um aumento de vagas na Câmara, de 10 para 13. O número de pessoas pagas pela Câmara subia automaticamente de 28 para 34, entre os 2 mil e 200 que são o total da prefeitura. Como se nota, em números, não significa nada, a questão aliás, é o que significa, é simbólica. A população se mostrou, não sem incentivo da imprensa, completamente adversa ao aumento de vagas de vereadores. Os vereadores não conseguiram votar de uma tacada só duas coisas impopulares, o aumento de cadeiras e de salários. Então a organização espontânea que surgira da luta contra o aumento do número de vagas de vereadores se fortaleceu para lutar contra o aumento de salários.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Manifestação contra aumento salarial dos vereadores

Hoje, 26 de Junho de 2012, às 15 horas, manifestantes convocados pelos Anonymous começarão a se reunir na praça da Estação e às 16 horas se dirigirão à Câmara de Vereadores, onde se oporão ao aumento de salários que os vereadores quem se dar. Os vereadores, obviamente, não estão satisfeitos com a participação popular. 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Vereadores aumentam o próprio número de 10 para 13 e tentam aumentar os próprios salários - manifestantes ocupam plenário


O número de vereadores cresceu de 10 para 13, mas os manifestantes conseguiram adiar o aumento de salários. Haverá outra seção especial na qual os vereadores tentarão aumentar seus salários, mas os manifestantes prometem fazer uma demonstração ainda maior.

Para variar, o presidente da Câmara mostrou seu despreparo, chamou a polícia, o conselho tutelar e queria a força expulsar os manifestantes.

Nenhum dos dois vídeos tem imagens da ocupação do plenário, que foi posterior a essa manifestação das galerias.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Dos DCEs à UNE a degeneração do PCdoB / UJS

Os grandes jornais capitalistas estão comemorando a desmoralização da União Nacional dos Estudantes e da UMES de São Paulo. Diversas denúncias de corrupção, de notas frias, de uso para lá de irregular do dinheiro público têm surgido na calda das denúncias que há meses atingiram o agora ex-ministro dos esportes, capa mor da UJS. Para quem foi dirigente estadual da UJS por 5 anos e membro do PCdoB por 10 anos não há surpresa nenhuma em nada disso. O que o PCdoB faz no movimento estudantil é o mesmo que o PT faz no movimento sindical, um domínio parasitário, que deixa arrebentados esses dois movimentos.   O método deles é a "democracia burguesa", ou seja, dominam e parasitam Sindicatos e DCEs (daí centrais sindicais e a UNE) por meio de eleições diretas.

domingo, 17 de junho de 2012

40 mil visitantes

Bem às vésperas das eleições municipais o São João del-Pueblo atingiu, em um dos seus contadores, 40 mil visitas. Ressaltamos para que os camaradas comunistas prestem atenção ao crescimento das visitas durante o período eleitoral e percebam a importância das eleições para o Partido Comunista.

sábado, 16 de junho de 2012

Vereadora faz revelações sobre o funcionamento da Câmara de Vereadores


É sabido que a vereadora Silvia Fernanda não é comunista, e que ainda jura ser anti-comunista, e que se ela se candidatar será em coligação adversária da nossa. Porém, ela revela, nessa entrevista, uma série de coisas que sabemos ser verdade. Ditas por uma vereadora do partido do prefeito, essas revelações ganham peso. O início da entrevista não surpreende, mas no decorrer, a partir sobretudo do sétimo minuto, a língua solta da vereadora presta importante serviço público.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Seminário da frente socialista sobre questões urbanas


Greve da UFSJ no caminho certo - governo petista se recusa a dar 10% de aumento aos professores!

Ontem, na minha casa, ouvi os grevistas da UFSJ que passavam na avenida Leire de Castro com um carro de som, denunciando o governo petista. Como sempre criticamos as greves mal feitas, quando alguma coisa é bem feita, devemos elogiar. Para o governo federal não faz diferença nenhuma se os estudantes estão tendo aulas ou não, o que interessa ao governo federal é se o seu partido está ganhando ou perdendo votos. Dezenas de greves ano após ano têm demonstrado que a greve pura e simples, ou seja, quando professores e técnicos se contentam em cruzar os braços, não tira do partido que estiver no governo votos suficientes para levar à vitória do movimento grevista.

Quando o patrão é o governo, a única maneira de fazê-lo ceder é é fazer contra ele todas as denúncias possíveis, dos mais variados assuntos, incessantemente. As manifestações públicas com carro de som estão no caminho certo. Devem ser mais constantes. Um carro de som devia andar na cidade o dia inteiro. E o assunto não pode ser somente a educação, o movimento não pode ficar falando só para o próprio umbigo. Tudo o que o governo faz que é prejudicial à maioria das pessoas deve ser denunciado. E além de um carro de som permanentemente na rua é necessário que se utilize panfletos, jornais, voltados para a população, não para os grevistas.

Um exemplo que seria sentido pelos petistas é o curso de medicina. Está sendo usado, como se sabe, pelo governo para propaganda do partido governista. É uma boa introdução para se falar da realidade dos cursos que existem, sem professores, sem laboratórios, e mostrar a hipocrisia do governo, que quer posar de defensor da educação mas continua destruindo a educação pública com o mesmo método usado por FHC. 

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Mercadante (PT) solta a polícia contra estudantes

Em que tempos vivemos? Não foi um neopetista, não foi um desses montes de tucanos que estão se filiando ao PT e empurrando os últimos socialistas para fora, não, foi um petista da gema, antigo, Aloísio Mercadante! Não vem ao caso se a ação protagonizada por uma parcela minoritária dos estudantes em marcha em Brasília era correta ou não. Simplesmente, o ministro petista devia ter recebido os estudantes, permanecido no Ministério, nunca poderia ter se comportado como os trogloditas da direita. Mais uma vez, está exposto ao mundo o que é o petismo.

Só para comparar, a Revolução cubana chegou ao poder em 1959, e desde então, mais de 50 anos, não tão tropa de choque, nunca a usou. Enfrenta os EUA, enfrenta os antigos exploradores expropriados, ou seja, bandidos de grosso calibre, e nem por isso tem uma tropa de polícia para bater no povo com porretes.

O PT usa nossas cores, usa um símbolo da antiga URSS, a estrela, angaria os votos socialistas, tem até que fazer uma política externa que agrade esse eleitorado, mas já está há 10 anos no governo federal e ainda mantém o país na era das tropas de choque. Eu conheci pessoalmente a polícia de Brasília, e por centímetros não conheci seus cacetetes e escudos. Na época estávamos lado a lado com os petistas, mas as coisas mudam rápido.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Prefeitura e Damae têm 2 mil e 200 funcionários


Já sabíamos que a Prefeitura era o maior empregador da cidade, mas não podíamos imaginar tanto, em uma cidade de 90 mil habitantes. Entre os 1525 cargos e salários divulgados pela Prefeitura, 147 são comissionados, e no Damae os comissionados são 19 entre 215. Na Saúde são cerca de 500 funcionários, dos quais ainda não temos os vencimentos. O total injetado na economia pelos salários desse povo todo soma R$ 2.295.738,78 por mês. Note-se que isso é sem a Saúde, que não está na lista divulgada. A média salarial tanto na Prefeitura quanto no Damae é de R$ 1.300,00, mas existem muitos salários de R$ 622,00, enquanto o salário do Secretário Municipal de Governo foi de R$ 12.914,16, maior que o do prefeito.

sábado, 2 de junho de 2012

Sobre os benefícios da Faculdade de Medicina em São João del-Rei

Embora com nítidos fins eleitoreiros, o surgimento de um curso de medicina na UFSJ deve ser saudado por todos. Resolverá para São João del-Rei e região um problema enfrentado por todos os municípios do país, a falta de médicos e os correspondentes salários proibitivos exigidos pelos médicos para trabalharem, assim como sua recusa em cumprir horários.

Somente nos anos eleitorais alguma coisa é feita pelos políticos, já sabemos, e por isso eles desejam tanto aumentar os mandatos para 5 ou 6 anos, diminuindo as eleições, de forma a só trabalharem um ano em cada cinco ou seis, ao invés de um em cada quatro como são obrigados hoje.  Também por isso devemos defender mandatos menores e ainda interrompidos por plebiscitos revogatórios, de forma a manter os políticos constantemente em alerta e ativos.