sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O retorno do esquecido Getúlio Vargas


É o último mês do último ano da gestão petista, e é a primeira vez que sou obrigado a publicar um artigo que a elogia. Por meio da Secretaria de Cultura, que passou quatro anos sob direção do PCdoB e ninguém nem notou, a estátua de Getúlio Vargas foi reinaugurada na Av. Leite de Castro. Ela está sem a carta testamento que tinha no pedestal original, no início da Av. Tancredo Neves, e precisou ser pintada, certamente por ter sofrido danos no período em que ficou abandonada, jogada em um canto. A estátua de Getúlio foi retirada de seu local original pela administração tucana-petista de 2004 a 2008.

A retirada da estátua de Getulio, substituída por (mais) um busto de Tancredo Neves, representou com exatidão o ódio que a direita brasileira tem por Vargas. Getúlio Vargas já reclamava disso em vida, e o atribuía à burrice das classes dominantes brasileiras, que seriam incapazes de compreender que ele as salvou do comunismo. De fato os exploradores mais xucros nunca o perdoaram por criar leis trabalhistas, e a direita ideológica liberal nunca o perdoou por ser nacionalista/estatista (no Brasil atual essas duas coisas são inseparáveis). Getúlio Vargas perseguiu os comunistas e outros oposicionistas, torturou e matou, e além de assassino foi ladrão, mas mesmo assim, por WO, foi até hoje o melhor presidente que tivemos! Os liberais tentam colocar JK na disputa, e os petistas são mais cômicos ainda tentando emplacar o Barba, mas não dão para saída. Os monarquistas, inábeis, tentam elevar a figura de Pedro II, quando se conhecessem melhor a monarquia tentariam com Pedro I, que em 9 anos fez muito mais que seu filho em 49. Fato é que Getúlio assumiu o comando de uma fazenda e a transformou em um país cheio de cidades e indústrias. Foi pouco, foi vacilante, foi corrupto, foi a custa de muito sangue, mas foi o melhor que tivemos até agora. Que a direita brasileira, ao invés de ser getulistas seja anti-getulista é um sintoma do maior problema que temos nesse país – a existência de grandes forças políticas anti-nacionais! Desde a independência somos obrigados a conviver com forças cujo projeto é o domínio estrangeiro.

Essa estátua de Getúlio, que hoje está em frente à mais antiga fábrica da cidade, foi feita com dinheiro de subscrição entre os trabalhadores, e os tucanos não tinham o direito de a retirarem do lugar para colocarem mais um busto do avô do patrão deles, e muito menos de a danificarem, sumindo com a carta testamento. Administração fracassada, depois de um governo de destruição nacional, que desindustrializou o país, multiplicou o desemprego, a violência e a corrupção, não tinham sequer moral para bulir com Getúlio Vargas. Eis a situação moral insustentável das classes dominantes brasileiras – estão abaixo de um ladrão sanguinário.

O retorno da estatua serviu para revelar o esquecimento em que caiu Getúlio Vargas. Quando Getúlio morreu, em 1954, os trabalhadores fizeram grandes manifestações, violentas, no país todo (São João inclusive), matando no ninho o golpe de direita que o levara ao suicídio. Até poucos anos atrás quase todo Sindicato ainda tinha uma foto de Getúlio, e mesmo muitas casas particulares. Atualmente Getúlio está esquecido! Em manifestações faz muito tempo que uma foto dele não aparece. Diante dessa estátua, as pessoas param e perguntam quem é! Uns chutam que é de Antonio Lombello, nome da praça, e cuja placa está perto da estátua, que por sua vez (incompetência até para reinaugurar uma estátua) está sem identificação. Outros chutam que é do construtor da fábrica! Tudo bem que a estátua não se parece tanto assim com o original, mas é impressionante.

Stálin morreu um ano antes, e até hoje na Rússia (que nem é sua pátria natal) e vários outros países as fotos de Stálin ainda aparecem aos montes nas manifestações. Não que Getúlio se compare, mas ao menos a nível nacional ainda devia ser lembrado. Contudo, em partes, foi a política getulista que gerou esse fenômeno. Na medida em que abafou o movimento sindical, enchendo-o de pelegos do Ministério do Trabalho, Getúlio estancou o desenvolvimento político do povo trabalhador, seu amadurecimento enquanto classe. Assim, tanto em 1945 quanto em 1954 ele não teve o apoio dos trabalhadores a não ser tarde demais, no segundo caso só depois de morto.

Resultado de imagem para russia manifestação stalin

Esse desserviço está em vigor até hoje! Embora sem a intervenção direta do Ministério, os Sindicatos estão quase todos mortos, parasitados, dominados por bandidos. Para os trabalhadores os Sindicatos não existem, são como escritórios do governo, como cartórios, e é comum entre eles o termo “dono do sindicato”, referindo-se ao bandido que o controla. O meio para controlar Sindicatos é o mesmo que o capital usa para controlar cidades, países etc. – eleições diretas.
As leis trabalhistas de Getúlio estão desaparecendo, e não se vê resistência, assim como não se viu platéia na reinauguração da estátua, que não foi aproveitada para protestar em defesa dos direitos trabalhistas. O que sustentava os direitos trabalhistas em todo o mundo era a existência da União Soviética. Com a queda da União Soviética os trabalhadores do mundo todo estão perdendo direitos. No Brasil soma-se a inexistência de um verdadeiro movimento sindical, morto por Vargas, e morto novamente pelo parasitismo petista, e uma “esquerda” que nem sequer pisa nas portas de fábricas. Os trabalhadores brasileiros estão órfãos! Há poucos anos, em uma assembléia operária de Barroso, ouvi trabalhadores perguntando se tinham direito a férias e décimo terceiro! Getúlio Vargas, pelo visto, não foi presidente em Barroso! Quem vai lutar para manter direitos que só têm no papel?


Sobre a administração que finda, basta dizer que o prefeito sequer tentou reeleição e que sua candidata ficou em quarto lugar. Na era da internet a única chance que essa administração sempre teve foi a transparência total, e o máximo de democracia direta online, mas como pedir isso do partido que ficou 14 anos no governo e sequer deixou sindicatos, associações comunitárias etc. terem rádios? Não tomou nem uma pequena medida democratizante (em 14 anos), mas criou, banalizando o terrorismo, leis para reprimir os movimentos sociais!?!? Ao invés de democratizar as empresas estatais as entregou para aliados políticos corruptos??? Aliás, partido esse que defende que democracia é esse regime fracassado e semimorto que temos no Brasil, inclusive com voto obrigatório. Bom será se ao fracasso administrativo ainda não se seguirem um monte de processos por corrupção, pois nesse item também o Pt revelou-se um partido de direita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário