quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Je Suis Charlie...Coulibaly?


Por Lúcio Jr, professor de Filosofia em Bom Despacho MG
Editor do blog Revista Cidade Sol.


Os frutos do atentado contra a revista Charlie Hebdo na França já começam a brotar. Primeiro, foram os ataques contra os locais de culto muçulmanos, logo depois do ataque.

Em primeiro lugar, eu julgo importante supor o atentado como sendo uma "falsa bandeira", ou seja, um atentado que poderia ser realizado pelo Mossad. Várias fontes na internet levantaram essa hipótese. Creio que muitos atentados, desde o Onze de Setembro, devem ser avaliados nesse sentido. É bem possível que o Onze de Setembro tenha sido o fogo no Reichstag de Bush, ou seja, uma desculpa para implementar uma política que, democraticamente, jamais seria possível implementar.

Em segundo lugar, o chororô da imprensa brasileira é PURA hipocrisia. São pessoas que até ontem censurariam essas charges, que não as publicariam, fossem elas anti-católicas ou anti-islâmicas, como aliás, em geral, são as charges do Charlie Hebdo. Elas só são publicáveis lá porque a França é um estado onde a separação entre estado e religião é bastante rígida, ao contrário daqui. Como aqui essa divisão é fraca ou não existe, a imprensa segue o estado (como quase sempre sob regime capitalista) e não publica charges que possam ofender religiosos. Só publicaram as charges do Charlie Hebdo, portanto, com o ataque da última quarta-feira. E agora "Somos Todos Charlie". Uma pinóia! São todos mentirosos, isso sim.

Agora, estamos sabendo, pela televisão, de várias prisões, entre as quais as do comediante Dieudonné. Ele foi preso por fazer suposta apologia ao terrorismo, na realidade, apenas por fazer algumas postagens no facebook ironizando o atentado, dizendo-se Charlie Coulibaly.

O atentado a jornalistas tornou-se um grande evento de mídia. Como aparece na mídia, é algo como "um instante mágico semelhante ao Big Bang". Se esse atentado não existisse, deveria ser inventado, pois serve muito bem ao poder.

E nada disso de conclamar todos a fazer frente única de apoio à "liberdade de expressão", mas apoiar, na prática, um estado totalitário e de exceção que prende humoristas e, com a militarização do estado a pretexto do terrorismo, coíbe todo tipo de movimento social, gera perseguição do estado para os grupos já perseguidos pelo estado francês: imigrantes de origem árabe, ciganos, etc.

Aqui no Brasil ocorreu algo semelhante, para fazer megaeventos, em especial a Copa, construiu-se um estado de exceção e totalitário em que a polícia prende, o judiciário não solta e a imprensa faz coro com o estado fascista de Dilma Rousseff, criminalizando os movimentos sociais, o que configura uma situação pior do que a ditadura militar em certo sentido, pois no tempo da ditadura, antes do AI-5, a polícia prendia e o judiciário soltava, boa parte dos intelectuais e artistas apoiavam. Hoje ocorre justamente o contrário, intelectuais e artistas são praticamente todos, com uma ou outra exceção, como Ney Mattogrosso e Eduardo Viveiros de Castro, coniventes. Mesmo a oposição de esquerda, quando reclama, reclama com má vontade e sem convicção alguma, pois PCB, PSOL, PSTU e outros antagonizam e são antagonizados por boa parte desses movimentos sociais como Passe Livre, MEPR, etc. Na última manifestação do Passe Livre foram 71 presos. Já existem 23 presos políticos. Até quando vamos esperar sem protestar???




2 comentários:

Choldraboldra disse...

Diana Johnstone

A bête noire do establishment francês

O movimento para amordaçar Dieudonné M’Bala M’Bala

(http://goo.gl/gccl7P)

Alex Lombello Amaral disse...

Discordo de quase tudo nessa análise... Está óbvio que os assassinos eram mesmo fanáticos religiosos, e se algum serviço de inteligencia tem algo com isso, não muda nada... Acho lamentável que para um acontecimento novo se use a mesma ladainha de 20 anos sobre a necessidade de criar um factóide para a guerra contra os muçulmanos... Também é mentira que a imprensa "brasileira" esteja a favor de liberdade de expressão... A verdade é que a imprensa "brasileira", assim como TODA a DIREITA, está defendendo que liberdade de expressão tem limites... O monte de assuntos envolvidos no texto são só desconversa, desvio do importante... Fato é que grande parte de nossa esquerda está confessando agora algo que eu já notava na prática - completa falta de compreensão sobre a necessidade de liberdade de imprensa! Tanto que comparam números, alguns idiotas... Acham que o problema é número de mortos, que outros massacres mataram mais e portanto deveriam receber mais atenção!?!?! Quanta estupidez!

Postar um comentário