terça-feira, 15 de abril de 2014

EDUCADORES ENCERRAM GREVE!

Atualizando as notícias da greve dos educadores municipais de São João Del Rei que acompanhamos de perto, viemos agora informar o término da greve. Hoje (15/04/2014) em Assembleia no Maria Teresa, os profissionais em educação votaram pelo fim da greve e aprovação da manutenção do Estado de Greve para acompanhar o cumprimento das promessas feitas pela prefeitura.


Os educadores tiveram incorporados ao salário-base oitenta reais que foi o abono de 2013 somados com oitenta reais que foi o abono de 2014, concedidos nos dois anos da atual gestão para desviar de aumento real, mais 8% calculados sobre as perdas em relação ao piso do professor. Tudo como promessa para junho, por isso o Estado de Greve permanece.
Voltamos a lembrar que os grevistas saíram derrotados já que não se sustentou a reivindicação da defesa do piso nacional para os professores. Manter no horizonte o piso e planear os caminhos de torná-lo realidade deve ser tarefa constante desde já para obter resultados nas próximas campanhas salariais. Os auxiliares ultrapassaram levemente o salário mínimo no bruto se somados com as horas extras que cumprem.
A derrota na sustentação do piso nacional se deve à contra informação da prefeitura, indicando a falência da mesma em termos informais, o discurso da irrealidade e da demagogia daqueles que implantaram a lei do piso, este último aceito a contra gosto pelos professores, mas que acostumam-se com gestões desastradas da prefeitura portanto pouco há o que se esperar deles senão pequenos reajustes. Além disso, o discurso leviano da prefeitura que o sindicato engoliu perdas acumuladas para a categoria nas gestões de prefeitos passados merece destaque em seu irresponsável procedimento em salvar a imagem do partido da prefeitura, mesmo contra o sindicato, contra os professores e contra os demais profissionais da educação.
A nota de rodapé positiva foi a de que os professores sustentaram a greve quando já haviam conquistado seus reajustes mas os auxiliares da educação permaneciam invisíveis aos olhos da prefeitura. O companheirismo teve que ser muito trabalhado entre os professores, uma vez que a greve se arrastava e desgastava seus participantes.
Por fim, alertemos que a prefeitura, em discurso, afirmou abrir as suas contas para avaliação da categoria. Sabemos ser um blefe, já que quando procura-se informações mais concretas, os asseclas do prefeito se esvaem em desculpas para dificultar a discussão apoiados em tais dados concretos, mas vale tentar romper com o monopólio das informações pelos políticos para alcançar, finalmente, o piso nacional para os professores. Munir-se com dados será melhor que basear-se em promessas vazias!

Nenhum comentário:

Postar um comentário