quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Perigo de guerra mundial: EUA querem atacar Síria, e Rússia planeja responder atacando Arábia Saudita

Frotilha russa na Síria

A princípio o anúncio russo de que planeja um ataque maciço contra a Arábia Saudita parece tão absurdo quanto o anúncio estadunidense de que pretende bombardear a Síria. Em todos os dois casos, causas humanitárias são alegadas, mas em ambos está em jogo o fornecimento de gás natural para a Europa, e portanto o poder total sobre essa grande península eurasiana, que não pode passar nem um só inverno sem esse fornecimento.

O anúncio russo foi na verdade bastante inteligente, e talvez tenha mais efeito que seus vetos no Conselho de Segurança da ONU, que não vale nada porque os EUA já esbulharam esse órgão dezenas de vezes, e mesmo que sua frotilha ancorada nos portos sírios, e que não se sabe se vai responder o fogo ocidental ou se vai permanecer impassiva diante do bombardeio dos EUA. Trata-se de um raciocínio bem russo. Os ocidentais querem dominar a Síria para poderem construir um gasoduto entre a Arábia Saudita e a Europa que poderia concorrer com o gasoduto russo, que hoje monopoliza esse mercado. Então os russos estão informando ao mundo que caso se inicie o ataque ocidental incendiarão as fontes de gás natural sauditas, tornando o gasoduto planejado inútil.

Além de explodir a guerra, explodiria o preço do petróleo, o que beneficiaria a Rússia, que é exportadora, concorrente direta da Arábia Saudita. Para os EUA e a Europa a Arábia Saudita é domínio estratégico central! Ambos são importadores de petróleo, e se ressentiriam muito da alta dos preços. Mais que isso, os reis sauditas têm sido sócios indispensáveis. Em momentos em que quase todos os países exportadores se somam para forçar altas nos preços, é a Arábia que tem, com sua imensa produção, imposto o preço desejado pelos EUA. Quase sempre os reis e príncipes sauditas têm formado ao lado das potências capitalistas ocidentais, mesmo contra outros árabes, outros muçulmanos, outros sunitas. Os russos nunca tiveram grandes esperanças de ganhar os sauditas para seu lado, mas na época da União Soviética nunca pensaram em algo tão absurdo quanto bombardear um país mais fraco e parcialmente mergulhado na idade média. Hoje, porém, sob governos capitalistas, eis que parece que os russos descobriram uma estratégia possível para lidar com esse concorrente.

A desculpa ocidental para o ataque é absurda, pior que a russa para atacar os sauditas. Os EUA alegam que o regime sírio tem utilizado armas químicas contra sua própria população, o que é bem improvável e irracional. Já a desculpa russa foi fornecida por um príncipe governante saudita, que ameaçou recrutar terroristas para cometer atentados contra os russos caso estes continuem apoiando a Síria.

Até agora a guerra na Síria já tinha envolvido o Líbano e mais ou menos a Turquia, o Irã, o Iraque e Israel. Agora EUA, Grã-Bretanha e França ameaçam entrar no conflito bombardeando a Síria. A Rússia ameaça entrar atacando a Arábia Saudita. Se as potências entrarem, os países mais ou menos envolvidos se envolverão por completo, e será muito difícil para a Jordânia, o Egito e a China ficarem de fora. Não é necessário explicar que a guerra também alimentará conflitos internos, como a guerra civil dos curdos contra o governo turco. Em resumo, vivemos o risco de uma nova guerra mundial, na qual vários atores têm bombas nucleares.

A insistência ocidental nessa guerra perigosíssima é sintoma de que a crise das potências ocidentais é bem mais profunda que o que se divulga. Ninguém está disposto a correr tanto risco sem uma forte necessidade. Basta dizer que o gasoduto que querem passar pela Síria levaria anos, depois da guerra, para ser construído, de forma que os russos poderiam derrotar a Europa pelo frio, simplesmente cortando o fornecimento de gás, que aliás também deixaria grande parte do continente sem energia elétrica.

Esperemos que a ameaça russa surta efeito e evite o pior. Porém, se a guerra começar, parece-me que as potências ocidentais caíram em uma armadilha que elas mesmas armaram.

Atualizações:

O Parlamento inglês decidiu não permitir ao governo britânico entrar nessa guerra.

O governo egípcio barrou naus de guerra da OTAN que tentavam atravessar o Canal de Suez para chegar à Síria.

Os comunicados russos indicam que os navios de guerra russos podem se envolver em batalha com os navios da OTAN caso esta realmente ataque e mais navios estão a caminho.

15 comentários:

Rodrigo Antonio Antonielli disse...

Texto de fácil entendimento, muito bom. Espero que essa guerra não aconteça... Muitas vidas inocentes seriam exterminadas.. Choro só de imaginar.

Alex Lombello Amaral disse...

Comentários de anônimos não serão permitidos.

ROBERTO disse...

É SEMPRE BOM CONHECER NOVOS ARGUMENTOS SOBRE A GUERRA, MUITO BOM!

Sergio Savio disse...

Show de bola essa materia, porem acho que a guerra esta mais proxima do que imaginamos, pois chegaram a um impasse, e este impasse vai causar MUITOOOO conflito. Espero que não chegue aqui a nós no Brasil esta guerra.

Lucas Cerqueira disse...

EUA se acham, quero ver se meter com a Russia, levaram uma surra no Vietnã e vao apanhar de novo...
Brasil se meter???????? WTF
n da conta nem dos trombadinha em brasilia e nas ruas imagine uma GUERRA...

Roger pires cruz disse...

si essa guerra acontecer vai sobra pra todo mundo ainda mais que a corea do norte esta ameaçando os eua

rui pedro disse...

todo mundo diz que o motivo é aramas químicas, se a guerra começar a serio passa a nuclear e ai já não importa mais nada..tudo se destrói em 3 tempos...o ser humano não tem cosnciência de mais nada vendo só o poder a sua frente..essa vais ser a direcção da destruição!..é triste

ElTall disse...

ATÉ QUE EM FIM UMA IDEIA PLAUSÍVEL E E VERÍDICA, ANTE A ESTES MEIOS CORRUPTOS, NEFASTOS E MANIPULADORES QUE SÃO A MÍDIA TRADICIONAL. PARABÉNS PELO TEXTO! O MELHOR EXEMPLO/RESUMO QUE VI ATÉ AGORA.

Rafael santos disse...

EXCELENTE TEXTO. O MAIOR PROBLEMA É OS ESTADOS UNIDOS ENTRAR EM CONFLITO COM A RÚSSIA. CASO ISSO ACONTECER, O MUNDO TODO ESTÁ EM PERIGO. OS ATORES PRINCIPAIS, POSSUEM BOMBAS NUCLEARES... O MUNDO TODO ESTÁ EM PERIGO!

Venildo Bezerra disse...

A França e os EU não sofreriam com uma 3ª War Wold: são autossuficientes em energia elétrica. A Rússia também não sofreria em razão do general inverno sempre a seu favor. A China e o Japão voltariam a idade média. Os países da América sobreviverias sem grandes perdas. O resto: países subsaarianos, índia, Paquistão, e os demais asiáticos sucumbiriam a fome.

Venildo Bezerra disse...

A 2ª fase da II Guerra Mundial.
Pela busca incessante de suprimentos de energia as nações foram à guerra em 1939, envolvendo a maioria dos países. Em 1945 a energia mundial ficou sob o controle hegemônico dos EU e da URSS. Hoje alguns dos países ditos ricos não estão conseguindo fornecer energia suficiente a seus povos. Isso atormenta os governos dessas nações que apelam ao comando irracional do aliado americano. A solução encontrada foi a de democratizar as reservas árabes de fósseis e distribuir com quem precisa. O plano foi posto em prática pelos EU, UK e França, varrendo do mapa a soberania iraquiana, para depois financiar a primavera árabe, espalhando a miséria e o horror no norte da África, dizimando a política da Líbia. Não parou por ai. Investiram contra os árabes asiáticos peitando com interesses soviéticos na Síria. Surgiu o impasse que poderá levar a 3ª Guerra Mundial convencional. Guerra convencional porque nenhuma nação terá coragem de detonar o 1º artefato nuclear. A França e os EU não sofreriam com uma 3ª War Wold: são autossuficientes em energia elétrica. A Rússia também não sofreria em razão do general inverno sempre a seu favor. A China e o Japão voltariam a idade média. Os países da América sobreviverias sem grandes perdas. O resto: países subsaarianos, índia, Paquistão, e os demais asiáticos sucumbiriam a fome.

Alex Lombello Amaral disse...

Venildo, na verdade as potências ocidentais não teriam chance nenhuma nessa guerra, exatamente porque NÃO têm de onde tirar toda a energia de que precisam... A Europa Ocidental, somando todos os principais aliados dos EUA, ficaria sem o gás russo, e isso a mataria de frio... E se a Arábia fosse bombardeada pelos russos até os EUA teria que entrar no racionamento... Em resumo, são só os que podem perder, e têm o mundo a perder... Por que os países pobres perderiam alguma coisa com a destruição das potências? Como a China seria prejudicada? Não faz sentido. Tanto que os EUA já recuaram...

Túlio Lopes disse...

Parabéns Alex Lombello!

Camarada;

I - Faltou mencionar o papel do Irã nesta trama da geopolítica internacional. Aliado da Síria, o Governo de Teerã sabe que poderá ser o próximo da lista.

II - Em um quadro de CRI$E, este conflito pode gerar um novo cenário internacional.

Saudações Comunistas!
Tulio Lopes

Marcos Allan disse...

Bom texto...mas no último parágrafo, na palavra caíram não seria cairão por conta que a frase nos dar um sentido futuro....

Alex Lombello Amaral disse...

Eu pensei "caíram" no passado mesmo, como se elas já tivessem caído, mas de fato elas ainda podem escapar, e parece que vão fazer isso (ainda bem), de forma que o correto teria sido mesmo "cairão".

Postar um comentário