quinta-feira, 4 de julho de 2013

PCdoB: adesismo e demagogia.



A líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, Manuela D'Ávila denuncia a "petulância" dos seus colegas que, segundo ela, acham “que os eleitores não saberiam opinar a respeito de temas complexos”. Será que ela acha mesmo que alguém deveria se sentir diminuído por não fazer em escassos dias o que os políticos não fizeram por décadas?

Ou trata-se de mera demagogia, apenas comprovando a promiscuidade do PCdoB com as práticas tradicionais do nosso parlamento, assim como com o clientelismo, a promiscuidade com o Executivo e com o tráfico de influências e a consequente coparticipação em tudo o que hoje é repudiado nas ruas?

A agenda pouco clara e polêmica emperrada no parlamento, em parte por falta de interesses, em parte pelas profundas dúvidas, é brandida como falsa solução da crise de representação pela qual passamos e corre o risco de se tornar mais uma frustração desmobilizadora. E o PCdoB só está preocupado em manter sua ascensão adesista...


 http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/2013/07/1305969-e-petulancia-achar-que-eleitor-nao-sabera-opinar-sobre-reforma-politica-diz-manuela-davila.shtml

Nenhum comentário:

Postar um comentário