terça-feira, 25 de junho de 2013

Defender reforma política com Constituinte Total !!!



A direita brasileira se revelou de ontem para hoje! Até ontem fingia concordar com os manifestantes que querem outra política, e hoje voltou todas as suas forças para combater o anúncio da Presidenta, um recuo dela e uma vitória dos manifestantes, de que pensa em convocar um plebiscito sobre a convocação ou não de uma Constituinte Exclusiva para tratar dos aspectos políticos da carta. A direita, ciente de que o povo existe alguma mudança na política, mas ainda não sabe bem qual, sabe que terá que fazer alguma reforma, pensa em mudar tudo para não mudar nada! Porém quer fazer isso com a Câmara dos Deputados e o Senado que tem hoje em mãos, uma vez que a base governista é nitidamente infiel. Desconhece que se a Presidenta anunciar que a reforma política será feita pelos políticos atuais estará provocando o povo e as grandes cidades do país explodirão.

Quem quer mudanças de verdade deve defender a Constituinte, e se não puder ser uma Constituinte Exclusiva, então que seja uma Constituinte total! Aliás, é do que precisamos, pois só então poderemos extinguir os inúteis e criminosos governos estaduais, e com a mesma tacada o senado, uma vez que a federação há muito tempo já não faz sentido. Cada brasileiro hoje sustenta três governos, três bandos de sanguessugas e carrascos. A educação poderia ser completamente entregue aos municípios, que teriam muito mais recursos, e a segurança completamente controlada pelo governo central, impedindo seu uso por políticos locais. Os trabalhos dos governos estaduais pela saúde são tão irrelevantes que simplesmente sobrar a sua parte do dinheiro (os impostos que cobra) diretamente nas mãos do SUS seria como se chovesse maná dos céus. Um parlamento só! Cada um dos cinco mil e tantos municípios elegendo e sustentando seus próprios deputados, e podendo substituí-los quando assim achasse justo. Teriam assessores? Se os municípios que os elegessem quisessem, sim, quantos quisessem sustentar. Exigência de plebiscito para tudo que é sério, pois políticos existem porque não temos como governar as coisas chatas sem eles, mas isso não significa que um dia eles vão conseguir nos representar. Cada ministro, de cada área, escolhido e sob controle direto do Parlamento, e o Presidente, como chefe de estado, com o poder de depô-los, assumindo, portanto, como em alguns regimes mais eficientes que o nosso (coisa fácil), um papel mais de vigilância que de governo.

Não, nesse momento não conseguiremos nada disso! Nem é esse o objetivo. O objetivo é usar as eleições de uma possível Constituinte para apresentar ao povo um projeto de democracia diferente do atual. As viúvas da ditadura, há alguns anos, têm saído das tocas, e agora, com a crise política do regime de 88 ficando óbvia, animaram-se ainda mais. Ou bem conseguimos lançar uma proposta alternativa de democracia, ou logo teremos a queda do regime de forma autoritária, porque o regime atual é indefensável! A reforma que vier prolongará ou abreviará a duração do regime de 88, conforme for avançada ou atrasada. Se for um atraso, não resolverá os problemas, e logo teremos uma outra e mais forte explosão social. Aconteça o que acontecer, tenhamos adiante as fases que tivermos, nossa vitória só será possível um dia se nossos militantes e parte do povo compreenderem que é possível uma democracia de verdade, e se puderem visualizar o desenho, que tem que ser simples, desse democracia.

Lamentavelmente, vemos grande parte da esquerda na defensiva, só porque uns fascistas junto com uns policiais disfarçados atacaram manifestantes que carregavam bandeiras vermelhas! Ora, o que esperavam de policiais e nazistas? Que lhes fizessem carinho? Quanta inocência. E por isso já existe gente falando de aliança com o PT. Também menosprezar a possibilidade de uma Constituinte é uma forma de defensiva. A Presidenta lançou um balão e ensaio, para ver a reação dos manifestantes. Cabe a nós convencer os manifestantes e exigirem uma Constituinte Total, apavorando os políticos e fazendo-os ceder ao menos uma reforma política. Essa mania de defensiva tem que acabar! Tanto para enfrentar os cachorros, como para enfrentar as TVs da direita, o que precisamos é de ofensiva!

PS: Um amigo acaba de me enviar informações pela internet que revelam a falta de honestidade da direita quando diz que uma Constituinte Exclusiva não é possível:

1994: Fernando Henrique Cardoso defende a convocação de uma assembléia constituinte exclusiva para fazer a revisão da Constituição
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1994/6/26/brasil/16.html
1998: Fernando Henrique Cardoso defende novamente uma constituinte restrita
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc17049811.htm

2 comentários:

AF Sturt Silva disse...

Parece que Dilma desistiu da constituinte. O PT NÃO DEFENDEU DILMA no Congresso (proposta da Constituinte) e recuou da defesa da PEC-37, juntamente com o PCdoB. Não são partidos.

A direita e os conservadores logo chamaram o debate sobre a constituinte para o campo jurídico, coisa que 99% do povo, inclusive os que estavam/estão nas ruas, não entendem.

Mais uma vez está claro quem realmente é favor do atual regime político que foi repudiado nas ruas. Mas para obter essa vitória precisamos de muita mobilização e amadurecimento.

Revistacidadesol disse...

Alex, de agora em diante a questão da integridade física dos militantes será mais e mais um problema. Se a esquerda ganhar a frente do movimento de massas, os fascistas, carecas, peesedebistas e pms infiltrados farão novamente até mesmo a fazer isso com frequência em todo o Brasil: dissolver passeatas, ameaçar, intimidar, matar.

Sugiro que as passeatas sejam apenas um lugar para os militantes convidarem para lançamentos de livros e debates sobre filmes que ajudem a compreender o beabá do socialismo e combater os clichês anticomunistas.

Abs do Lúcio Jr.

Postar um comentário