sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Governo tucano de Minas proíbe eleição de sindicato dos professores estaduais

O governo de Minas, incapaz de formar chapa do PSDB para o Sind-UTE, apelou para a repressão, e está tentando proibir as eleições desse sindicato de acontecerem na data marcada. Essa proibição exorbita em muito os poderes do governo estadual, é completamente inconstitucional e não passa de uma provocação inútil que revela a histeria desse governinho. O Brasil tem o governo da União, e os governos municipais. Será que ainda precisamos sustentar os governos estaduais? Quando foi que o Brasil conseguiu ser uma federação? A unidade brasileira é um fato louvável, raro, que devíamos aproveitar como forma de economia.

O que são greves de professores de redes estaduais de ensino? São lutas entre os professores e os políticos pelo dinheiro que devia ser todo da educação. Quando um governo enfrenta seus professores isso só pode significar uma coisa, é que ele não quer dar mais dinheiro para a educação! Os políticos querem ficar com o dinheiro, e querem manter baixos os salários dos professores porque seus sócios são também donos de escolas particulares, e quando se elevam os salários da rede estadual, também sobem os da rede particular.

Os salários dos professores dos estados governados por tucanos são tão baixos que as greves acontecem normalmente de dois em dois anos. Aos poucos, muito devagar, os funcionários públicos estão aprendendo a lidar com o patrões políticos, entendendo que deles é necessário tirar votos, não somente dar prejuízos financeiros. Embora ainda seja muito pouco o poder de fogo usado pelo Sind-UTE na última greve em Minas, o governador parece incomodado. Mais ainda, ele parece estar desesperado por conta das eleições de 2014, apavorado com a ideia de uma greve em 2013 ou 2014.

Coisa engraçada, os tucanos tentaram montar uma chapa para o Sind-UTE! Não só na esquerda existem lunáticos! Como não conseguiu, o governo está tentando proibir as eleições, o que só vai gerar repulsa na categoria e união no sindicato.

Esse assunto me lembra uma questão que vi levantada por um monarquista no final da monarquia, defendendo que os municípios e no caso dele, o Império, deviam ser fortalecidos, não as províncias. Na época isso era um sonho distante. Para se manter unido, o Brasil precisava da experiência federativa, porque os estados eram muito mais diferentes uns dos outros do que hoje.

As diferentes regiões brasileiras continuarão sendo muito diferentes entre si, e isso não pode ser esquecido, mas o que significa a federação no Brasil de hoje? Significa não a autonomia dos estados, não que os estados consigam cuidar de seus próprios problemas, mas somente a existências de governos estaduais, com câmaras legislativas estaduais, tribunais estaduais etc. E o que fazem esses governos? Reduzem os professores, enfermeiros e policiais à miséria de forma que a educação pública, a saúde pública e a segurança pública sejam um fracasso.

É hora de começar a dizer aos governos estaduais o quanto eles são inúteis e dispensáveis, e que podiam se comportar melhor para se fazerem mais toleráveis pela população.

Um comentário:

AF Sturt Silva disse...

Na subsede de SJDR o PCB/Frente de Esquerda tem algum inscrito na chapa única?

Postar um comentário