sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Sobre as pesquisas eleitorais

Foi publicada hoje uma pesquisa, e será publicada outra completamente diferente amanhã, a de hoje no jornal do PT, paga pelo PT (doze mil reais), a de amanhã no jornal do PSDB, paga pelo PSDB. Todas as duas têm uma margem de erro de 5%, ou seja, os resultados podem ser manipulados em até 5% jogando-se a culpa na margem de erro. Para manipular o eleitorado, grande parte do qual vota como se estivesse apostando em cavalos, os candidatos inflam seus próprios resultados em 5% e diminuem os dos adversários também em 5%.

Eles nos ajudaram com essa guerra de pesquisas, pois o pior para nós é a polarização entre os dois nivaldos, que brigam com as mesmas armas, com as mesmas táticas, pelos mesmos objetivos. A polarização leva uma parte do eleitorado que pode ser nosso a dar o "voto útil", que acaba sendo sempre uma inútil troca de seis por meia dúzia. O poder já minúsculo do eleitor ai se resume a negar engolir uma de duas figuras intragáveis, tendo que aceitar a outra como preço. Porém, a distancia que a pesquisa mostrou entre o nivaldo petista e o Nivaldo dispensa o voto "útil".



O eleitor pode gastar seu voto defendendo um programa avançado. É isso o mais útil que o voto pode valer. Muito mais útil do que colocar ou tirar fulano ou sicrano da prefeitura é dar apoio a idéias que podem de fato melhorar a vida. Quando a disputa está acirrada entre os sicranos e nivaldos, fica mais difícil convencer os eleitores a deixarem de lado essa bobagem e gastarem o voto de forma inteligente. Os eleitores em grande maioria acreditam piamente que o que interessa são as pessoas que ocupam os postos de comando, e se recusam obstinadamente a aceitar que dado o sistema econômico-político-cultural-social as pessoas nos postos de comando viram engrenagens como se estivessem em qualquer outra função. Os eleitores não gostam de aceitar sequer a importância dos partidos políticos para se saber o que será o governo de um candidato. Porém, como as pesquisas apontam que a eleição já está decidida, que a pessoa que será prefeito já não está mais em disputa, então porque não usar o voto para outra coisa? Para algo de útil como defender nosso programa, por exemplo.

Os nivaldistas, porém, estão acusando os petistas de terem fraudado a pesquisa. Segundo eles o candidato petista não aparecia na pergunta, mas sim um inexistente "professor Nivaldo", nome aliás que cabe muito bem ao petista mas não é o dele. Essa fraude, se comprovada, pode até impugnar a candidatura do nivaldo petista. Achamos tudo isso uma sujeira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário