domingo, 12 de agosto de 2012

Greve da UFSJ já dura quase 3 meses

Foi dia 14 de Maio que a greve teve início, em conjunto com um movimento nacional envolvendo mais de 50 universidades federais. Agora, outros setores do funcionalismo público entraram também em greve. O governo federal, adotando uma política tucana, está preferindo processar os trabalhadores que dialogar.


Um governo marcado por corrupção generalizada, que já teve que trocar 9 ministros devido aos mais diversos escândalos, é portanto um governo perdulário, gastador, que está fazendo Olimpíadas e Copa do Mundo, que distribui esmolas, que empresta dinheiro ao FMI... Por que esse governo se recusa a repor a inflação aos salários de professores e outros trabalhadores?

Por mais que já tenha assistido a casos de corrupção, tenho dificuldades de entender o que ganham políticos safados para quebrarem o próprio país. Uma vez que as empresas deles quebrarão junto, que os familiares deles sofrerão, o que ganham para executar uma política de arrocho que levará à crise econômica? Será possível que realmente uma presidente da República acredite nas receitas econômicas liberais e esteja fazendo essa politica idiota por crença?

Um velho e experiente embaixador, o saudoso Ciro, uma vez me assegurou que governos bem assessorados como o brasileiro não cometiam mais erros, que esse grau de amadorismo não existe mais, que os "erros" são propositais. Nesse caso de política econômica tucano-petista eu tendo a concordar. Não é possível acreditar que o governo esteja executando uma política recessiva sem querer... A desculpa do governo, que não adianta tentar aquecer a economia porque as famílias já estão endividadas é similar a dizer que não adianta dar remédio, porque o doente já está doente, ou seja, é uma típica irracionalidade petista.

Em São João del-Rei a greve em si já congela a economia. Um mês de greve já gera impacto, três meses deixam setores inteiros da economia, por assim dizer, descontentes, obrigados eles também a gastarem menos, afetando a economia inteira.

Vez que outra o movimento grevista acerta, faz uma passeata, coloca na rua um carro de som. Mas no geral é uma paralização, e só. O movimento não se decidiu a gerar prejuízos políticos significativos ao governo, que é a única tática que seria de fato eficiente. Eles têm, há muitas greves, uma esperança covarde e ridícula - prejudicam os estudantes, para prejudicarem os pais, para os pais pressionarem o governo. Claro que nunca deu certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário