quarta-feira, 9 de maio de 2012

Vão se definindo as candidaturas em São João del-Rei - sobre a possível retirada de Nivaldo da disputa e outras novidades

Não que faça diferença para a tática que adotaremos. Aconteça o que acontecer com as demais candidaturas nós teremos um candidato próprio escolhido entre os pré-candidatos que lançamos, um do PSOL, um do PSTU e um do PCB. Nenhuma das demais pré-candidaturas apresenta um programa nem sequer parecido com o nosso, portanto, embora reconheçamos que existem diferenças entre elas, nenhuma nos agrada. Mas é importante refletir sobre o panorama político eleitoral.



A primeira questão obrigatoriamente é se Nivaldo vai ser candidato ou não. Ele diz que vai e o PMDB também diz que ele é candidato, mas os adversários falam de um processo (um dos mais de 30) em que ele será julgado em segunda instância ainda em Junho. Os tribunais de segunda instância são colegiados (não é um só juiz) e portanto se ele for condenado sua candidatura estará impossibilitada pela lei. Isso muda todo o quadro! Como ele mesmo disse, com óbvio exagero, se ele não for candidato serão uns 20 candidatos. De fato, muitos candidatos só o serão se Nivaldo estiver fora, pois só têm interesse em se elegerem, nem sequer imaginam a política de verdade. O favoritismo desse prefeito ainda é confirmado por pesquisas. Para quem não conhece trata-se de um político, na minha opinião, semelhante aos Newton Cardoso, Malufs e Bejanis, com o mesmo tipo de eleitorado, de práticas, de discurso etc.

Ao passo em que crescem incertezas sobre a candidatura de Nivaldo, crescem as certezas sobre a candidatura do reitor da UFSJ pelo PT. O obstáculo mais sério a essa candidatura acaba de ser superado, com a eleição da vice-reitora como reitora da UFSJ, uma vitória do reitor que custará caro à UFSJ durante muitos anos adiante. Depois do Nivaldo, o reitor é o favorito. A política dos dois é semelhante e podemos apostar que se essa candidatura se confirmar a campanha para prefeitura revelará ainda mais semelhanças. A campanha para reitoria fez se espalharem denúncias sobre o reitor, mas na verdade a oposição foi exageradamente educada, não chegando nem a divulgar, por exemplo, os onze processos que existem contra o mesmo. Certamente os adversários políticos que o reitor enfrentará em São João del-Rei não serão tão bonzinhos.

O PSDB está em uma situação difícil, humilhante até! Apesar de ser um partido grande em São João del-Rei, com um diretório gigantesco, com figuras influentes, e de ter ao seu lado o maior jornal escrito, a única TV e as três maiores rádios da cidade (todas de propriedade da rainha deles) o PSDB talvez nem tenha candidato próprio, mas somente o vice, ou na chapa do Nivaldo ou do PT. Existem três pré-candidatos tucanos que já se apresentaram e boatos sobre outros que não se apresentaram, mas Nivaldo já afirmou abertamente que terá o apoio do PSDB garantido pelo governador, e o PT certamente disputa esse apoio nos bastidores. Pode parecer provocação, mas essa aliança PT-PSDB realmente me parece a mais natural possível, pois as lideranças desses dois partidos em Minas já namoram há anos. Se o PSDB local for obrigado a apoiar Nivaldo, certamente a maioria de seus membros fará campanha para o PT, ou para outro candidato, ou para nulo. Será uma crise maior que se for obrigado a apoiar o reitor, pois o reitor já foi tido como um deles, tornando-se petista na medida em que se submeteu ao governo federal.

O PSB afirma que lançará Adenor Simões, não sabemos em coligação com quem ou se a sós. O PT do B também apresentou pré-candidato próprio, Spitzberg, nos surpreendendo, pois há meses se dizia que o PT do B lançaria Jane Costa, ex-chefe de gabinete do Nivaldo em seu primeiro mandato. Sempre circulam pela cidade boatos da candidatura do PV, mas não temos nenhuma informação sobre ela.

Já estamos em Maio. Já no mês que vem acontecerão as convenções partidárias, mas muita água ainda vai rolar e o panorama ainda sofrerá modificações bruscas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário