terça-feira, 13 de março de 2012

Parem as escolas públicas brasileiras dias 14, 15 e 16 !

Professores, estudantes e demais cidadãos devem colaborar com a paralisação nacional dos professores, dias 14, 15 e 16 de Março. Os professores formam a categoria mais humilhada do Brasil. O Piso Nacional, que já é baixo, não é obedecido pelos estados. A decisão de pagar pouco é política, pois se a miséria paga fosse triplicada ainda assim não arranharia os orçamentos públicos. Um dos objetivos é desestimular os jovens mais capacitados das carreiras de professores - o intelectual que insiste em ser professor é punido com a miséria ! Outro objetivo é manter elevados os lucros das escolas particulares, que cairiam caso os salários das escolas públicas fossem decentemente elevados, o que obrigaria as escolas privadas a também elevarem seus salários. É o que vai continuar acontecendo enquanto o poder estiver nas mãos dos donos do capital, ou de seus testas-de-ferro, pois o objetivo deles é lucro e concentração de capital, de forma que não querem nem pensar em salários altos, nem em serviços públicos de qualidade.


Estados e municípios governados por bandidos não querem pagar R$1.500,00... O último contracheque que vimos, dois meses atrás, ostentava 600 e poucos reais, como se fosse o pagamento por uma palestra e não por um mês de aula. Diversos professores, depois de alguns anos de insistência, dão por finda sua contribuição à pátria, considerando, com razão, que anos de trabalho voluntário já são muito mais do que a média nacional. Por mais irrisório que seja o piso de R$ 1.500,00, já triplicaria os salários dos professores de Minas Gerais, de forma que podemos concluir que é uma das maiores conquistas resultantes de todas as lutas dos anos 90, e deve ser defendida nas ruas, nos muros, na internet, em folhas, cartazes, raivosamente, obrigando a direita a engolir.

O desestímulo à carreira de professor é tanto que são necessárias propagandas repetitivas na TV para tentar convencer os jovens ao sacrifício. Pesquisas mostram que os professores estão entre as três categorias menos prestigiadas pelos jovens de todo o país.

Em todo o país, os salários públicos são o padrão de comparação, a base, sobre a qual as escolas particulares oferecem seus salários. A criação e manutenção do piso nacional evidencia que esse setor, das escolas particulares, tem uma influência limitada sobre o governo Dilma, mas sobre os tucanos a influencia é gigantesca. A rigor, grande número de chefes tucanos são donos eles mesmos de escolas particulares. Eis a verdadeira consciência de classe necessária - que a população compreenda que os interesses públicos são contrários aos interesses dos capitalistas.

Concluindo, os professores devem entrar na paralisação, os estudantes devem fazer paredes e os pais e demais cidadãos devem colaborar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário