sábado, 9 de abril de 2011

Senhor Reitor,

Desculpe-nos incomodar durante suas férias repentinas, que mais parecem uma fuga, mas o senhor acusou na reunião do Conselho Superior da UFSJ de 4 de Abril de 2011 que “o PCB aparelha o DCE” da UFSJ. Então vamos te ensinar o que é e o que não é aparelhamento.

Quando o senhor faz shows do Inverno Cultural todos os anos em sua cidade natal, onde a UFSJ não tem um Campus, mas o senhor tem óbvios interesses políticos, isso é aparelhamento, e a prova é que as demais cidades vizinhas, onde o senhor não tem tantas possibilidades eleitorais, não são igualmente privilegiadas.

Quando a assessoria de imprensa de uma Universidade é reduzida a atuar como assessoria de imprensa do reitor, isso é aparelhamento.

Quando o senhor, nas eleições de 2011, trouxe à UFSJ somente uma candidata à presidência da República, a sua, e ainda transformou a capa do jornal da Universidade em um panfleto dela, isso é aparelhamento.

Aparelhamento é a gíria do movimento para quando um partido, ou personalidade, ou qualquer tipo de ator político, transforma uma entidade que deveria ser de todos em um “aparelho” seu. É ainda uma palavra branda, visto que lembra os “aparelhos” onde se escondiam organizações clandestinas que lutaram contra a ditadura. O termo mais exato é parasitismo, visto que as entidades assim atacadas, como uma pessoa atacada por um parasita, sofrem e com o passar do tempo definham.

O PCB teve um candidato em 2010 a deputado federal morador de São João del-Rei – Alex Lombello Amaral – mas onde se viu qualquer publicação do DCE com qualquer apoio, mesmo subliminar e indireto, a esse candidato? Em que ocasião o DCE chamou esse candidato para fazer campanha dentro da UFSJ? Teve esse candidato alguma estrutura financeira ou logística para que se possa acusar que a mesma veio do DCE?

O PCB de São João del-Rei já nasceu em 2007 rompido com praticas parasitárias, porque estudando a degeneração de partidos que um dia foram revolucionários e hoje degeneraram em capitalistas, notamos que esses partidos foram de fato parasitados pelos parasitas que criaram nos movimentos sindical e estudantil.

O PCB também não manipula os estudantes, como o senhor insinuou. Aliás, o senhor deve ter notado, quando conseguiu não se sabe como os telefones das casas de diretores de várias entidades de base, e ligou para eles, ano passado, pedindo-lhes que votassem em um estudante contra outro no Conselho de Entidades de Base, que esses estudantes não são manipuláveis, pois apesar da pressão e das dádivas, o senhor só conseguiu dois votos!!! Confessou durante a ocasião que sabe que o PCB não controla o DCE, porque nunca ligou para nenhum dirigente do PCB, só ligou para quem manda, os Centros Acadêmicos.

Deve ter sido a partir dessa sua experiência no movimento estudantil que o senhor percebeu que para ter conselheiros universitários dóceis entre os estudantes é mais fácil se os mesmos forem eleitos em grandes eleições diretas. Só não entendo como o senhor foi inocente de imaginar que os estudantes não perceberiam ou não se revoltariam contra essa manobra, ou se sabia que teria que enfrenta-los, como se atreveu, quando já foi derrotado por eles várias vezes.

O fetiche das eleições diretas, senhor reitor, pode ser forte entre seus aliados, mas não o é para essa geração que já nasceu sob a Constituição de 1988 e agora vem a conhecer na prática uma experiência democrática como a dos Conselhos de Entidades de Base. Eles até fazem eleições diretas nas próprias entidades de base, que são universos de poucas pessoas, mas sabem que em grandes eleições, em que reina o poder financeiro, os representantes estudantis na verdade serão do senhor ou de quem investir ainda mais dinheiro, e não dos estudantes.

Todos podem comparar - Essas dezenas de jovens estudantes que o senhor parece não querer ver mais nos Conselhos Universitários são o resultado da uma nova democracia que eles mesmos estão construindo, sem reis, sem chefes, sem influencia financeira, sem decisões entre quatro paredes. O resultado das eleições diretas nós também conhecemos, nossos prefeitos, deputados, vereadores, sindicatos e entidades estudantis parasitadas, reitores que não suportam opiniões divergentes de seus alunos....

Partido Comunista Brasileiro
São João del-Rei
9 de Abril de 2011

2 comentários:

Insurgente disse...

Ótimo texto.

Insurgente disse...

Bem, eu não entendo muito de política, mas acho que o PCB não aparelhou o movimento estudantil da UFSJ, porque este partido tem se mostrado sempre combativo. O que tenho notado é que o partido tem contribuido muito para a construção do movimento estudantil, e foi uma das principais forças que participou das discussões e da construção histórica da organização que temos agora. Mas a questão que está colocada aqui não é a oposição entre a reitoria e o PT e o PCB, essa é uma falsa questão. A questão central aqui é a discussão entre a autonomia da organização dos estudantes, o processo histórico que construiu a nossa organização pelas bases, em um modelo que permite a todos os estudantes representar a si mesmo e discutir as questões de seu interesse.

Postar um comentário