terça-feira, 29 de março de 2011

Pesquisadores da UFSJ estudam pegada gigante em Dores de Campos

Coordenador do GEPHIS, Moisés Romanazzi observa descoberta
Integrantes do Grupo de Estudos da Pré-História (GEPHIS), do Departamento de Ciências Sociais da UFSJ, descobriram pegada fossilizada de padrão Theropoda no entorno rural do município de Dores de Campos. Trata-se de descoberta inédita naquela região, que pode indicar a existência de um sítio paleontológico até então inexplorado.

Segundo o coordenador do GEPHIS, professor Moisés Romanazzi Tôrres, a pegada permite deduzir que um dinossauro de grande porte, muito provavelmente carnívoro, habitou a região. “O padrão indica que o animal pisou em ângulo inclinado, voltado para a esquerda, afundou completamente o pé e mesmo a parte inferior da perna”, destaca.

Contatado pelo proprietário rural Josino Élcio, Moisés e mais três alunos do GEPHIS – Adriana Pereira, Herbert Custódio e Rivelino Miranda – visitaram o sítio e coletaram as características básicas do que viram: uma pegada isolada, tridáctila, em formato de dígitos espalmados, digitígrada, preservada em profundidade (46 cm), medindo aproximadamente 1,52 m de comprimento por 1,23 m de largura. “No dígito esquerdo e no do meio aparecem, nitidamente, as garras. O dígito direito não está tão bem preservado”, informa Moisés Tôrres, responsável por identificar e caracterizar a pegada.

A equipe coletou fragmentos do sedimento para posterior análise química, o que vai permitir a reconstrução paleoambiental. E já preparam artigo para informar a comunidade científica sobre a descoberta. “Vamos também enviar projeto de pesquisa aos órgãos de fomento para assegurarmos o financiamento das etapas subsequentes, que abrangem a moldagem da pegada e a construção de um cercado coberto para sua proteção”, avisa o coordenador.
Mais informações: (32) 3379-2459. O Grupo de Estudos da Pré-História funciona no Campus Dom Bosco, em São João del-Rei.



Publicada em 27/03/2011
Fonte: ASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário