quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

É hora de São João del-Rei virar à esquerda!


Quem dedicar algum tempo a ler as notícias das páginas de São João del-Rei perceberá o caos, mas não saberá tudo. Lerá que a polícia agora vive nas portas da Santa Casa e do Hospital, pois a saúde pública brasileira só existe na TV. Lerá também que, para variar, existem acusações de corrupção contra o prefeito. Notará que o patrimônio arquitetônico e histórico vive ameaçado e sofrendo perdas irreparáveis. Entenderá melhor como querem entregar a água da cidade aos estrangeiros, que a maioria dos vereadores, como sempre em todos os cinco mil municípios brasileiros, está nas mãos do prefeito e mais absurdos que tornam nossa República uma anarquia.

Mas o leitor ainda não ficará sabendo que a cidade vive suja, nem que o número de mendigos cresceu e as pontes estão todas habitadas, nem que a renda per capita da população de São João del-Rei é de meio salário mínimo, nem dos assassinatos de jovens que continuam acontecendo, nem dos detalhes dos crescentes problemas de transito e das diversas mortes que têm causado etc. simplesmente porque todos os blogs juntos não dão conta de tratar de um por um dos problemas que crescem ao nosso redor.

A chamada “democracia” desse tipo que temos tem se mostrado completamente ineficaz para resolver o conjunto de problemas. É uma democracia presidencialista, ou seja, centralista e personalista, na qual para escolher qualquer coisa o povo tem que escolher na verdade uma pessoa em quem confiar e esperar que essa pessoa resolva os problemas. Os legislativos não mandam em nada! Os federais, a Câmara dos Deputados e o Senado, ainda conseguem barganhar com o Palácio do Planalto, mas as Assembléias Legislativas e as Câmaras de Vereadores são simplesmente atropeladas, não tem nem sequer o poder de fiscalizar que afirmam aos quatro ventos ser sua obrigação.

Esse poder exagerado dos prefeitos resulta em que o povo de São João del-Rei fica sem opções! Nas eleições passadas, um terço dos eleitores, que somaram 51% dos votos válidos, ficou com o atual prefeito. Compreende-se! O eleitorado não confia ainda nos candidatos socialistas e comunistas como opção. Os outros dois candidatos tinham relações óbvias com a administração PSDB-PT que foi a pior das últimas décadas. Ao menos no candidato do PMDB esse terço do eleitorado reconheceu o assistencialismo e as obras mal feitas, que já são melhores que o elitismo e a mediocridade que também caracterizam nossos adversários que a nível nacional têm o hábito de vender a pátria.

Em 2012, sobretudo se se confirmar o apoio do ex-governador ao atual prefeito, coisa muito estranha, teremos um cenário pior que o de 2008, estendendo-se esse mandato até 2016. O problema é que essa administração é uma “desadministração”, completamente incapaz de resolver os problemas do município.

É necessário, com urgência, a união dos partidos socialistas, para construírem não só um projeto comum, sério, realizável em quatro anos, mas também para prepararem-se materialmente, as duas coisas que sempre faltaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário