segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

WikiLeaks comprova ligação de PSDB com petroleiras estrangeiras

As concessões do governo Lula às multinacionais são menores do que essas desejam, e encontraram em Serra um candidato que lhes prometeu entregar-lhes tudo o que desejam. O documento é sobre a Lei do Pré-Sal, que agora exige que a Petrobrás seja parceira em todos os consórcios de exploração e única operadora dos campos. As empresas estrangeiras correram para pedir ação dos tucanos logo que tal lei foi proposta, e Serra prometeu que se eleito acabaria com ela - "Nós mudaremos de volta", ele teria dito, segundo o diplomata. Para as multinacionais que perderam petróleo para a Petrobrás ele teria dito "Vocês vão e depois voltam".

Meu pedantismo de historiador me obriga a lembrar que sempre existiram partidos assim, avessos a nossa independência, inimigos de nossa liberdade, partidário do domínio estrangeiro. Desde 1820, quando a Revolução do Porto se alastrou pelo Brasil, surgiu um agrupamento político defendendo que o poder continuasse monopólio de Lisboa, do outro lado do Oceano, e por isso mereceu o título de Partido Português. Mesmo depois de proclamada a Independência, o Partido Português manteve-se no governo até 1831, quando foi expulso daqui Pedro I, sua principal liderança. O Brasil então tinha independência política pela primeira vez, mas os remanescentes do Partido Português continuaram atuando contra, e fazendo mesmo apologia da restauração de Pedro I ao trono do Brasil, do que só desistiram quando este morreu, em 1835.

Mas se já não se podia entregar o país ao domínio estrangeiro por meio da casa real portuguesa, ao invés de lutarem por mais liberdade interna, da qual o país muito carecia sob as botas da Guarda Nacional, criada pelos escravocratas logo que Pedro I se fez ao mar, e na verdade exatamente por temerem a liberdade do povo pobre, os traidores arranjaram outros senhores estrangeiros. Tanto nas fileiras do Partido Liberal, quanto nas do Partido Conservador, surgiram renegados defendendo entregar aos estrangeiros todo nosso mercado interno, todas as concessões, em troca de comprarem parte de nossos produtos agrícolas. Porém, era o Partido Conservador, o mais ligado aos senhores de escravos, o mais forte portanto nas regiões agro-exportadoras, o principal defensor da entrega do Brasil aos banqueiros ingleses. Para justificar tal despojamento da liberdade alheia era usado o dogma liberal, então chamado simplesmente de livre-cambismo, ou seja, as teorias de Adam Smith.

A República, depois de alguns anos de disputa pelo poder, caiu nas mãos dos grandes proprietários de terras, não raro os mesmos que mandavam na monarquia, e por isso o país continuou agarrado às saias da Inglaterra. Quando a República acabou por engendrar um serviço diplomático profissional, apesar da sanha exportadora dos donos do poder, teve início um trabalho sério de defesa da soberania nacional, mas somente a Revolução de 1930 libertaria por um tempo o país dos dogmas liberais e dos traidores que sempre lutaram pelo poder estrangeiro sobre o país.

Getúlio Vargas fez seus mais perigosos inimigos pela ousadia de ser nacionalista. Não adiantou nada ele perseguir e matar centenas de comunistas, pois as potências capitalistas, quando puderam, fizeram seus capachos derrubá-lo em 1945 e depois em 1954, quando ele reagiu ao golpe militar com o suicídio. Entre 1945 e 1964 o país se dividiu exatamente entre os que defendiam um desenvolvimento nacional autônomo e os defensores de atrelar o país aos EUA, que não hesitaram, em 1964, em desfechar um golpe militar que resultou em uma ditadura de 20 anos.

Os militares, porém, não satisfizeram as exigências dos gringos. Pelo contrário, desde 1967 adotaram uma política externa que chamaram de "pragmática", na qual os EUA viram independência excessiva. O poder estrangeiro sobre o Brasil se tornou mais forte com a instalação da democracia liberal de 1988, que consagrou o poder financeiro sobre o Estado. Ora, isso é o mesmo que consagrar o poder estrangeiro! Tivemos então o desprazer de assistir os herdeiros do Partido Português deixando as indústrias nacionais irem à falência sob uma chuva de mercadoria baratas, doando as empresas estatais aos seus sócios, sabotando as Universidades públicas e a rede pública de saúde, sacrificando tudo à sanha de seus senhores.

É portanto como um presente de Natal que recebemos essa informação do WikiLeaks, a comprovação documentada das denúncias que sempre fizemos sobre os tucanos.

2 comentários:

Revistacidadesol disse...

Oi, Alex. A teorização da III Internacional dizia que nos países coloniais e semicoloniais a burguesia se divide em uma ligada ao imperialismo estrangeiro e outra que o recusa.

Não se pode aplicar esse raciocínio ao PT e ao PSDB, pois vira o tal etapismo já superado, mas creio que mesmo sob o domínio do capital financeiro essa polarização é encenada, pois existem traços remanescentes de um período em que ela realmente existiu (esse que vc cita 46-64).

Abs!

Revistacidadesol disse...

Oi, Alex.

Um toque: as pessoas da minha cidade estão comentando que todos os partidos são iguais e me cobrando posição por causa desse aumento para os congressistas. Sugiro que o PCB faça uma nota de repúdio, embora eu saiba que ele não está envolvida e nem tem representação congressual.

E outra, Alex: faça pelo menos um artigo analisando o tal "socialismo com características chinesas" porque a China vem com tudo. Existe interesse crescente em tudo o que se refere à China.

Abs do Lúcio Jr!

Postar um comentário