segunda-feira, 29 de novembro de 2010

EUA contra a liberdade de expressão

Nos últimos dias, os principais dirigentes políticos estadunidenses, chefes dos partidos Democrata e Republicano, manifestaram-se contra a existência de um importante meio de comunicação, o WikiLeaks, um dos poucos que se destacam da imprensa marrom e vendida de nossa sociedade. Esse site está publicando documentos que revelam as ações criminosas dos EUA pelo mundo.

Leiam mais em http://www.diarioliberdade.org/index.php?option=com_content&view=article&id=9253:comunicado-de-wikileaks-em-galego-portugues&catid=87:comunicacom&Itemid=104&sms_ss=twitter&at_xt=4cf3bd7bf7c70d37,0 .

2 comentários:

Revistacidadesol disse...

Que delícia, é como ver todo mundo nu!

alex disse...

Agora estão tentando prender o fundador do WikiLeaks, e a imprensa brasileira faz eco às acusações absurdas - durante a relação sexual a camisinha arrebentou, e a partir disso ele foi acusado de estupro! Santo Deus! Então agora, se uma camisinha arrebenta, isso é um estupro? Pergunta babaca: Então os advogados desse paisinho europeu que já foi exemplar deveriam aconselhar seus clientes a já começarem logo as relações sexuais sem camisinha?

Dando exemplo ao mundo, o presidente Rafael Correa, do Equador, ofereceu ao fundador do WikiLeaks cidadania equatoriana!

Postar um comentário