terça-feira, 3 de agosto de 2010

Item 17 - Poder também para os idosos

Um jovem inteligente que pense em votar em proveito próprio, deve votar a favor dos políticos que defendem os aposentados e idosos em geral. Afinal, na velocidade com que as coisas se resolvem no Brasil, qualquer política demora vários anos para ser aprovada e mais outros vários anos para entrar em funcionamento, de forma que são os eleitores jovens que receberão a maioria dos benefícios das lutas pela qualidade de vida dos idosos.

Mas somos uma espécie aparentemente incapaz de certas compreensões. Nenhum de nós deseja morrer jovem, ou seja, todos desejamos nos tornarmos velhos, mas tornamos a vida dos idosos um inferno na Terra.

Os governos tucanos reduziram as aposentadorias e ainda fizeram aposentados pagarem imposto de renda. O presidente FHC (PSDB) ainda chamou os aposentados de vagabundos. O governo Lula nem sequer pensou em reverter essas perversidades. Os deputados de sua base votaram contra os aposentados. Ora, em qualquer cidade de Minas Gerais, com destaque para as do interior, quanto menos os aposentados recebem, menos dinheiro circula, menos empregos existem.

A grande imprensa, a máquina de mentir aperfeiçoada pelo ministro Goebels, destruiu os valores sociais positivos em relação aos idosos, pois atrelada à lógica mercadológica, acabou por reduzir todos os humanos às tabelas de preços de escravos, em que idosos eram por vezes até jogados fora, enquanto jovens fêmeas saldáveis e trabalhadores especializados valiam fortunas. Deixamos para trás a escravidão e seus traços culturais para que o capitalismo, em pleno século XXI, volte a empurrar os idosos para a miséria e a morte.

A vida frenética, o trânsito cada dia mais rápido e perigoso, a poluição, o barulho, tudo é contra os idosos no mundo que estamos destruindo.

Os asilos, muitas vezes são prisões e campos de concentração e até, em casos raros mas já denunciados, extermínio.

Toda a nossa luta comunista, no fim das contas, é a favor dos idosos em seus resultados, mas existem questões específicas, como essa última dos asilos, cuja solução passa pelo fortalecimento político dos idosos, que devem ser tratados não como vítimas, carentes de assistência, mas sim como cidadãos que são. Os idosos devem ser chamados a resolver seus próprios assuntos, em conselhos ou assembléias restritas aos maiores de 60 anos, com recursos para gastar e poder sobre asilos e outras instalações voltadas para os idosos.

Um mandato de deputado não é capaz de reverter controle político ao ponto de entregar aos próprios idosos todo o poder a que fazem jus, mas pode estimular as organizações de idosos e aposentados.

2 comentários:

AF STURT disse...

Esse é vc daqui 30 anos?

alex 2121 disse...

É um site que envelhece fotos.

Postar um comentário