segunda-feira, 19 de abril de 2010

UEE continua sem estatuto, e UJS entra em decadência

O Conselho Estadual de Entidades de Base (CEEB) que deveria ter aprovado um novo estatuto para a União Estadual dos Estudantes acabou em uma fogueira espontânea de crachás. A UJS, juventude do PC do B, revelou toda a sua decadência. Inicia-se um novo tempo no movimento universitário mineiro.


Desde o credenciamento de delegados já se podia perceber que o resultado não poderia ser outro, pois eram os partidos políticos que compunham a mesa de credenciamento, e quase todos com atas fraudadas. Mas a campeã em fraudes foi mesmo a UJS, que inscreveu ao fim das contas 86 delegados, quase todos de cidades onde não existem entidades de base! Os comunistas quiseram fotografar as atas, mas a UJS não permitiu, o que foi suficiente para termos certeza da fraude. Por que não podiam ser fotografadas as atas? De que têm medo os “camaradas” do PC do B? Pode-se entender esse medo dada a incompetência que atingiu essa força até para fraudar – das entidades de base que não existem, uma tinha o nome de Tales, e outra se chamava De Mileto!!?? As letras e cores de canetas eram quase sempre iguais! As atas de fundação eram idênticas!!??

Logo no primeiro dia do encontro outra evidência da fraude se deu de forma cômica. Um estudante da Uninorte, delegado cadastrado pela UJS,diante de todo o plenário, afirmou que em sua universidade não existem Centros Acadêmicos e DCE. Ou seja, revelou que todos os delegados dessa universidade eram fraudes.

Só isso já era suficiente para que não se pudesse aceitar um estatuto aprovado pela bancada da UJS, mas essa organização já não consegue conter as próprias gafes.

Das quatro propostas de estatuto que foram defendidas, só uma estava exposta a todos, e era a defendida pelos estudantes da UFSJ na tese A Hora é Essa. A UJS não apresentou estatuto nenhum, nem o leu. É claro que isso é absolutamente ilegal, além de absurdo. Deve-se somar a essa ilegalidade a falta de um edital de convocação do CEEB, e a falta da contagem de votos! Sim, ninguém sabe quantos votos teve cada proposta!

Os delegados, diante da afirmação absurda de que a proposta da UJS tinha sido vitoriosa, saíram do plenário queimando seus crachás. Fizeram em torno da fogueira de crachás um grande círculo e debateram o ocorrido. Concordaram em não reconhecer o novo estatuto, pois ainda nem o conhecem.

A UJS acha que venceu. É uma vitória de Pirro, pois as forças da UJS se desgastaram para não conquistarem nada, enquanto as forças que defendem o poder das entidades de base cresceram e se unificaram. A verdadeira vitória foi dos que nitidamente não roubaram, não fraudaram e não coagiram delegados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário