terça-feira, 23 de março de 2010

Manifestação pela água

A maior prova do sucesso da primeira manifestação dos são-joanenses em defesa da água é a disputa que se seguiu pela paternidade da mesma. Diversos políticos, pré-candidatos e outras lideranças fizeram circular a “informação” de que foram os responsáveis pelo ato público. Na verdade, aconteceu um somatório de interesses entre a grande maioria das forças políticas e sociais da cidade, que tiveram a maturidade de não dividir a manifestação em diversos pequenos ou inexistentes atos.

Existe uma pressão ilegal e mentirosa tentando forçar o povo de São João del-Rei a entregar sua água aos capitalistas para que ganhem com ela o máximo de dinheiro que puderem. Existem duas modalidades em voga para roubar o povo. A que exerce hoje a maior pressão é a Copasa, que nominalmente pública, na verdade está nas mãos de acionistas estrangeiros e de seus sócios “nacionais”. Como é óbvio, todos os anos esses acionistas recebem uma bolada por serem donos da água de 142 municípios mineiros. Querem incluir São João na lista! A pressão da Copasa, porém, abriu espaço para capitalistas locais tentarem se apossar de nossa água, por meio de uma Parceria Público Privada, PPP, que é simplesmente a criação de uma empresa particular para substituir o Departamento Municipal de Água e Esgoto, Damae..

Convocada inicialmente por um radialista, a manifestação foi sendo reconvocada por chefes políticos, partidos, organizações sindicais e estudantis. A população sabe que a Copasa cobra mais caro por uma água que não é em nada melhor que a do Damae, e pode imaginar o que seria uma PPP cuidando de nossa água. Por isso é nitidamente contra a negociata. Os políticos sabem disso, e esse é o motivo pelo qual disputam a paternidade da manifestação. Ao lado da Copasa ou do PPP estão somente os tucanos e os poucos que têm a ganhar diretamente com isso. Em toda a história do Brasil sempre tivemos partidos ou tendências de traidores, que desejam entregar tudo a potências estrangeiras ou aos seus mercadores, e não é estranho que agora desejem entregar a água. Vão ser recompensados por isso como sempre foram – com promessas, títulos e bugigangas.

Um comentário:

Thiago Zoroastro disse...

tomara que a Damae mude sua atuação para não ter críticas e não precisar de privatizar á agua de são joão.

Postar um comentário